quinta-feira, setembro 23, 2010

DIA DA ÁRVORE É COMEMORADO COM AÇÕES AMBIENTAIS NA APA DO ITAPIRACÓ

Acompanhado por aproximadamente 500 pessoas, o Dia da Árvore, comemorado na manhã desta terça (21), foi marcado por diversas ações realizadas na Área de Proteção Ambiental (APA) do Itapiracó, localizado no bairro Cohatrac.

Como parte da programação, os partícipes realizaram atividades como plantio de mudas nativas do próprio parque ambiental, assistiram palestras sobre a importância das árvores, acompanharam a apresentação de recitais de poesias e a exposição de um video institucional que retrata todas as atividades socio-ambientais desenvolvidas dentro da APA, além de sua história de implantação, dificuldades existentes, àrea limítrofe, recursos hídricos disponíveis, entre outros.

Dentre as espécies de mudas utilizadas no plantio e que marcaram a inauguração do Viveiro de Plantas Nativas da APA, estiveram a de jatobá, caju, bacuri, andiroba, cedro, cupuaçu e manga, todas coletadas na própria reserva.

Estiveram presentes no evento, Washington Rio Branco – Secretário de Estado de Meio Ambiente do Maranhão, Lívia Karen – Superintendente de Educação Ambiental da SEMA, Yassodhara Brandão – Chefe do Departamento de Preservação Ambiental da SEMA, Tenente Holanda – Batalhão de Polícia Ambiental e Heider Lemos – Diretor da Associação Brasileira de Apoio aos Recursos Ambientais do Maranhão.

“Eventos como esse são importantes porque propagam a necessidade de preservar o meio ambiente como um todo, e os nossos biomas, especialmente, como forma de se defender de problemas climáticos que o mundo vem sofrendo”, afirma Washington Rio Branco, Secretário de Estado de Meio Ambiente.

A SEMA, responsável pela gestão da APA, em parceria com a ONG ABARÁ, realiza inúmeros projetos com as comunidades locais que incluem atividades culturais e artísticas; capacitação profissional; ações de sensibilização ambiental; educação ambiental, etc.

Essenciais para a vida, as árvores não só embelezam o planeta, como mantêm a umidade do ar. Além disso, ajudam a diminuir a poluição, porque dissolvem o gás carbônico, durante a queima de combustível. Produzem oxigênio, mudam a direção dos ventos, firmam o solo das encostas e também as margens dos rios.

Garantir a riqueza do meio ambiente e incentivar o reflorestamento é importante porque ter a natureza por perto traz muitos benefícios para todos nós. A exploração descontrolada tem contribuído para a extinção das espécies, acaba com as florestas e ainda prejudica os animais que vivem no local.
Fonte: Ascon SEMA

INAUGURAÇÃO DE UM SONHO ANTIGO

Localizada a 32 km da capital maranhense, a cidade de São José de Ribamar comemora 58 anos de emancipação política e administrativa e quem ganha o presente são os moradores do Cohatrac V. Isso porque o Dr. Luis Fernando (Prefeito licenciado de São José de Ribamar e o seu Sr. Gil Cutrim entregarão neste domingo (18/09/10) o asfaltamento e urbanização de 17 ruas do bairro Cohatrac V (ruas 01, 02, 03, 04, 05, 06, 07, 08, 09, 10, E, F, 4.1, 6.1, Travessa 01, Travessa 02, Travessa 03) que, além de asfalto de qualidade, receberam calçadas, sarjeta, meio-fio e nova iluminação pública. Para a alegria dos moradores do bairro, Luis Fernando, na ocasião anunciou que, em breve, construirá uma praça em um terreno baldio localizado no Cohatrac V.
Para alegria dos moradores Dr. Luis Fernando anunciou para breve a construção de uma praça em terreno baldio, localizado no Cohatrac V.


Da esquerda para direita - Jaqueline Alves (Membros da ONG Ilha Verde) Maurício Cutrim (Membros da ONG Ilha Verde) Gil Cutrim (Vice Prefeito de São José de Ribamar) e Léia Araujo (Instituto ALUMIAR).









Léia Araujo (Instituto ALUMIAR) Maria de Fátima (Membros da ONG Ilha Verde) Jaqueline Alves (Membros da ONG Ilha Verde) e Alberto da Silva Carneiro (Secretário de Agricultura, Pesca e Abastecimento de São José de Ribamar).









Celso Borges (com a camisa da Seleção Brasileira) Presidente da Fundação Gersyka Emmel liderança comunitária que lutou pela conquista.












Concentração de moradores do Cohatrac V, prestigiando a entrega das obras.

quinta-feira, setembro 16, 2010

“Como eu não podia mais jogar bola, pensei numa forma de me divertir e proporcionar a outros, também, uma brincadeira. Daí surgiu a ideia de fazer um Campeonato de Dominó na Apa do Itapiracó”. A proposta, iniciada em 2009, por Sebastião Ataíde, um dos mais antigos moradores da unidade de conservação, deu certo. No ano passado o campeão foi Robson Ataíde Lima. Este ano, o Campeonato está em andamento e é formado por seis duplas que se reúnem aos sábados e domingos, na APA, para uma disputa por pontos. Iniciado em 31 de julho, a previsão é terminar no final de outubro.

Apesar de ter sido concebido para um lazer destinado à Terceira Idade, todos participam, de qualquer faixa etária. Para entrar, cada um tem que pagar uma taxa de R$ 25,00 (vinte e cinco reais). “O dinheiro é para a gente fazer, no final, um almoço de confraternização”, diz Sebastião, o organizador.

A tendência, segundo os jogadores, é o Campeonato crescer a cada ano, “pois o evento vai sendo divulgado e as pessoas vão se inscrevendo para o torneio. Acho que é uma boa ideia especialmente para os mais idosos” disse Robson Ataíde.

As duplas participantes são formadas por Sebastião Ataíde e Cássio de Jesus Carvalho; Eusébia Pereira Ataíde e Robson Ataíde Lima; Roberto Borges da Silva e Antonia Maria Ataíde Lima; Rui Marcos Moreira e Cássio Araújo (suplente Fernando Ataíde); José de Nazareno Aguiar e Antonio José Pires; Paulo Geovane Pereira e José de Souza Lima (suplente Antonio José).

Fonte: ONG Abará

quarta-feira, setembro 15, 2010

CAMPEONATO DE FUTEBOL DO COHATRAC, AGITA FINAIS DE SEMANA NO ENTORNO DA APA DO ITAPIRACÓ.

Disputa acirrada marcou a final do Campeonato de Futebol do Cohatrac, realizado no dia 07 de setembro, no campo do Leozão no Cohatrac IV. O jogo entre os times do Penãrol, da Rua das Hortas e Maciel Supermercados, teve o placar de 0 x 0 no tempo normal, e foi vencido pelo Maciel por quatro a um nos pênaltis. O campeonato que já está em sua quinta edição, contou com a participação de times em três categorias: sênior, amador e divisão especial.
A arbitragem da final, foi conduzida por Daniel Medeiros, escolhido como melhor arbitro da competição, auxiliado por César Roberto e Afonso Celso. De acordo com Medeiros, “foi muito bom trabalhar com dois auxiliares de competência, o torneio teve sucesso com a participação de várias equipes”.
O torneio que começou em março teve a presença de aproximadamente, duas mil pessoas, prestigiando os jogos que aconteceram sempre aos finais de semana. Para o organizador do evento, Leonildo Martins,a participação da comunidade é muito importante para o crescimento do evento, “a contribuição de todos no torneio é ótima, pois faz com que fique conhecido e atraia a presença de novos participantes e autoridades, que prestigiem os jogos”.
Além desta atividade, a organização também promove uma escolinha de futebol, para aproximadamente 30 crianças e adolescentes, da área do Cohatrac e adjacências, trazendo socialização e ensinando a arte do futebol.
Fonte:ONG Abará

segunda-feira, setembro 13, 2010

FOCOS DE INCÊNDIO NA RESERVA DO ITAPIRACÓ

A ONG Ilha Verde, em caminhada ecológica, realizada nas trilhas da Reserva do Itapiracó, neste domingo, dia 12 de setembro de 2010, detectou vários focos de princípio de incêndio, provavelmente ocasionado pelo alto índice de temperatura ou pelo descuido de algum transeunte que passa e lançam ponta de cigarro na vegetação próximo a entrada sul da Chácara do Itapiracó.

Na oportunidade o fato foi comunicado pelos membros da ONG Ilha VERDE, o Sr. Maurício César, a Srª Maria de Fátima e pela Srª. Claudia Cardinale ao Batalhão de Policia Ambiental da Reserva, na pessoa do Sargento Gomes, que de imediato foi debelado, para impedir a propagação do fogo em toda a área, evitando assim, um dano maior para a biodiversidade da reserva e pelo fato das existências de várias casas próximo ao local.

sábado, setembro 11, 2010

GOVERNO VAI CONSTRUIR 800 PRAÇAS EM TODOS O BRASIL

Beleza, até que fim uma boa notícia!

O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). irá construir 800 praças em vários municípios da federação

Ato interministerial publicado hoje dia 10, no Diário Oficial da União institui o processo de seleção de propostas para a implantação das praças. Os municípios que vão ser beneficiados devem ter população acima de 70 mil habitantes nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, ou com população acima de 100 mil habitantes nas regiões Sul e Sudeste.

Agora praça sem planta não dá né gente? Então já estou na expectativa para uma bela arborização nas muitas praças que virão por aí.

Fonte: Agência Brasil

sexta-feira, setembro 10, 2010

DESENVOLVIMENTO E JUSTIÇA SOCIAL – OS DESAFIOS AMBIENTAIS DO MARANHÃO

Nos últimos anos, cresceu o número de ações voltadas para a preservação ambiental e a formulação de políticas públicas no Estado do Maranhão.

Diversas ações têm sido realizadas: audiências públicas, sessões de estudo, articulação das entidades preocupadas com a realidade ambiental do Maranhão, da Amazônia e do Brasil.

Foram momentos importantes de reflexão, socialização de informações e apresentação de propostas. Lamentavelmente, pouco ou quase nada foi feito pelos órgãos competentes.

Mais grave ainda: o aumento do desmatamento que propicia a expulsão da população rural; os usos da monocultura e de defensivos agrícolas, que muitos males causam à população rural e urbana; a necessidade da construção de barragens para gerar mais energia elétrica e contribuir com o desenvolvimento regional só têm agravado a situação ambiental do país.

Essas questões ambientais continuam preocupando os movimentos sociais e parte significativa da sociedade maranhense e brasileira.

Para contribuir com o debate e encontrar alternativas que atendam a maioria da população, o gabinete da deputada Helena Barros Heluy propõe, em parceria com instituições da sociedade civil, o Seminário Desenvolvimento e Justiça Social – Os desafios Ambientais do Maranhão.

MESA REDONDA

  • 15 de setembro de 2010
  • Local: Auditório "Fernando Falcão" - Assembléia Legislativa do Maranhão

PROGRAMAÇÃO

  • 14 h – Abertura Solene: Composição da Mesa
  • 14 : 45 h – Mesa Redonda : Desenvolvimento e Justiça Social - Os Desafios Ambientais do Maranhão

Sandra Maria de Oliveira Sá – Doutora em Ciências, Pós-Doutorado em Biogeoquímica - NUGEO/CCA – UEMA

Oiama Cardoso Filho – Mestre em Planejamento e Gestão Ambiental

Suely Gonçalves - Especialista em Gestão de Cidades

Marluze Pastor – Fórum Carajás

Fábio Pierre – Tijupá

  • 16:15 h – Intervalo – Coffee break
  • 16:30 h – Debate em Plenário
  • 18 h – Leitura da Carta Aberta (Propostas da Mesa Redonda)
  • 19 h – Encerramento
Fonte: Helena Barros Heluy

quinta-feira, setembro 09, 2010

AÇÃO VOLUNTÁRIA MELHORA O ACESSO DA RUA DAS HORTAS NA APA DO ITAPIRACÓ

Na tarde do dia 04 de setembro foi realizada uma ação voluntária para melhoria dos acessos na Rua das Hortas, localizado no interior da Unidade de Conservação APA do Itapiracó. A atividade foi uma iniciativa da Igreja Evangélica Rei dos Reis, situada no Turú, e dos empresários Paulo Melo e Luis Carlos Cunha, diretores da empresa Aloc - locadora de máquinas, membros da congregação.

A ação já é desenvolvida há quatro anos e acontece duas vezes por mês em comunidades carentes de São Luís. Somente no ano de 2010 já foram visitadas mais de 30 comunidades sendo beneficiadas com facilidade de acesso, consultas médicas dentre outros atendimentos.

Para o empresário Luis Carlos Cunha, “trabalhar com as comunidades é muito gratificante, pois temos a oportunidade de externar tudo de maravilhoso que Deus nos oferece”. O empresário conta ainda, que conheceu a comunidade da Rua das Hortas, por meio de um dos seus funcionários, que ao ficar doente, não pode se deslocar, pois o acesso na área estava muito difícil.

Na Rua das Hortas foi executado um melhoramento das vias, utilizando uma “Patrol”, a primeira máquina adquirida pela empresa, e hoje em dia utilizada somente para ações voluntárias em comunidades carentes. Após o trabalho, geralmente, a comunidade atendida, recebe a visita de membros da igreja que ministram palestras para evangelização da população visitada.

Foi imediato o aumento de fluxo de veículos, carros de passeio, taxis, motocicletas, na comunidade, onde foi comentado por moradores, que antes da melhoria não transitavam nem ambulâncias.

Fonte: Ong Abará

quarta-feira, setembro 08, 2010

MORADORES DA APA DO ITAPIRACÓ VIVEM À MODA RURAL NO MEIO DE SÃO LUÍS

Agricultores e criadores convivem entre bucólico ambiente e as agressões do homem à natureza com poluentes.

As ruas da Horta e São Pedro situam-se entre Turu, Cohatrac, estrada da Maioba e Parque Vitória, mas nelas não se vê asfalto, trânsito intenso de automóveis e o som ambiente não se compõem nem de buzinas nem daquela mescla de publicidade com corpos caminhando apressados - que é, afinal, o que dá o tom comum das principais vias de São Luís. Apenas o rumorejar de árvores, interrompido de vez em vez pelo cacarejar de alguma galinha atrasada em seu anúncio matinal, constitui o invólucro acústico que isola 55 famílias do que se passa ao redor, feito fosse um pequeno município interiorano que se instalasse no interior da capital. Pois as poucas casas de taipa, barro e adobe, a par de outras já de melhor acabamento e com aparência de sítio, que ocupam pequena parcela dos 322 hectares da Área de Preservação Ambiental (APA) do Itapiracó, pertencem a pessoas cuja relação com a terra, o mato e o bicho destoam por completo do perfil do cidadão citadino.

Em 1997, quando, por deliberação da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), foi tornada uma APA, a reserva do Itapiracó já abrigava famílias ali estabelecidas há décadas, com filhos já homens que lá nasceram e nem mais se recordavam de quando seus pais haviam se estabelecido na área. Ainda sendo de posse da união, embora gerenciada estadualmente pela Sema, a reserva permaneceu com seus antigos moradores e descendentes, porquanto tenha sido vedada a entrada de novos vizinhos. A vegetação abundante – cedros, pés de castanha do Pará, cajueiros, guanandis, até um simbólico pé de pau-brasil, além de macacos e jacarés dando as caras esporadicamente – foi preservada, ainda que expressiva parte da área original (estimada em 400 hectares) tenha sido perdida. "Houve de fato uma ocupação de áreas, o que trouxe impactos. Mas a grande maioria das pessoas que residem no terreno que continua sendo da reserva estão aqui há mais de 30 anos. Elas sabem cuidar da área", afirma Elizângela França, coordenadora administrativa da APA do Itapiracó.
Fonte: Ronald Robson

domingo, setembro 05, 2010

CRIATIVIDADE ECOLÓGICA

Um arquiteto português criativo e ecologicamente correto aproveitou dois pedregulhos em um campo para construir uma casa rústica. Parece à casa dos Flinstones.

Não é um projeto que possa ser replicado em qualquer lugar, mas é uma idéia inspirada.

Fonte: Época on-line

EMPRESA MARINE ENERGY QUE EXPLODIU PLATAFORMA NO GOLFO ESTAVA ENROLADA EM VÁRIAS MULTAS

A empresa Marine Energy, dona da plataforma de petróleo que explodiu no dia 02 de setembro Golfo do México já tinha sido multada. A informação é do blog ThinkProgress, do Center for American Progress, grupo político influente no governo Barack Obama. Segundo o blog, a Marine Energy recebeu duas multas ambientais este ano, totalizando US$ 55 mil. Também recebeu outra em 2007, de R$ 30 mil. Parece que as infrações são comuns no grupo. A empresa pertence ao grupo Apache Energy, que recebeu 22 autuações desde 1998, somando US$ 1,74 milhões. Uma delas, deste ano, diz respeito a falta de um equipamento, em uma das plataformas, que evita a descarga de óleo no mar.

A denúncia recente aumenta a pressão para que o governo seja mais rígido para controlar a exploração de petróleo no Golfo do México. Desde o acidente com a plataforma de perfuração da BP, a atividade de exploração de petróleo em águas profundas ficou evidentemente associada ao risco de acidente, com danos para os trabalhadores envolvidos e para o meio ambiente marinho. O governo americano decretou uma moratório nas novas perfuração na região. A perfuração é o momento mais delicado da operação de produção de petróleo, porque os técnicos não sabem precisamente como são as condições de pressão do reservatório de gás e petróleo sob o mar. Também a plataforma de exploração tem menos sistemas de segurança do que uma plataforma de produção. Por isso, o foco do debate eram as novas perfurações. Mas agora o acidente aconteceu em uma plataforma de produção, em águas mais rasas que a da BP.

Embora os danos, por enquanto, sejam incomparavelmente menores, o novo acidente cria pressão para que as medidas de controle da indústra de petróleo sejam ainda mais rígidas.

Fonte:Época on-line

quarta-feira, setembro 01, 2010

GRUPO DE TRABALHO DA APA DO ITAPIRACÓ REALIZA PASSEIO.



CAFÉ DA MANHÃ ANTES DA CAMINHADA








Maurício (ONG Ilha Verde), Elizangela (ABARÁ) Heider(ABARÁ), Roses Sales (Presid. da Comis. de Meio Ambiente da Câmara de Vereadores) e Prof. José Sampaio










Equipe da EMBRAPA Cocais e Planícies Inundáveis







Roses Sales (Presid. da Comis. de Meio Ambiente da Câmara de Vereadores) Claudia (Presidente da ONG Ilha Verde) e Ozelito (IFMA)
INICIO DA CAMINHADA





ABRAÇO SIMBÓLICO EM UMA MANGUEIRA CENTENÁRIA



INCRÍVEL: FAMÍLIA SUPERDOTADA TEM GAROTO FORMADO AOS 14 E IRMÃO NA FACULDADE AOS 11

Carson Huey-You (14 anos) se formou no último mês de maio em Física pela Universidade Cristã do Texas. O garoto é o mais jovem a completa...