sexta-feira, abril 29, 2011

28/04 DIA DO BIOMA CAATINGA.

Com uma população de 28 milhões de pessoas, a Caatinga é a região semiárida mais populosa do mundo.


No bioma, o único exclusivamente brasileiro, o grande desafio é promover o desenvolvimento da região com a proteção do meio ambiente.

Um dos problemas da Caatinga é o desmatamento causado pelo uso da madeira para energia. Um terço da energia da região é à lenha.

De acordo com o diretor de Combate à Desertificação do MMA, Francisco Campello, é possível atender à demanda de lenha da indústria com a realização de manejo florestal sustentável. É preciso uma área de 2,5 milhões de hectares para atender a demanda de lenha, utilizando 170 mil hectare por ano, explicou. Para realizar o manejo, a área é dividida em 15. A cada ano, é retirada a madeira de uma parte. Depois essa área é reflorestada e é usada a madeira de outra divisão.

quinta-feira, abril 28, 2011

JOVEM CIENTISTA DISCUTE COMO TORNAR AS NOSSAS CIDADES SUSTENTÁVEIS

O prêmio é uma iniciativa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, o CNPQ, em parceria com a Fundação Roberto Marinho, a Gerdau e a GE.

É numa pequena célula que o professor Adriano deposita uma esperança: ver o Brasil produzindo energia limpa, a baixo custo. Em 2002, ele ganhou o prêmio Jovem Cientista ao criar o dispositivo de conversão de energia solar em elétrica, mais eficiente já fabricado no país.
“Com estas peças nós podemos converter energia solar, que recebemos nos telhados, nas fachadas, e transformar em energia elétrica. Estes equipamentos não emitem ruídos, nem gases de efeito estufa”, declara Adriano Moehlecke, professor de Física.

O sistema criado pelo professor Adriano já está em funcionamento. Parte da energia utilizada no Museu de Ciência e Tecnologia da PUC do Rio Grande do Sul é fornecida pelo dispositivo que transforma a energia solar em elétrica. A produção ainda é pequena, mas já existe um plano de negócios para a aplicação da tecnologia em escala industrial.
A 25ª edição do prêmio Jovem Cientista foi lançada ontem à noite, em Brasília. Alunos do ensino médio, superior e pesquisadores já formados podem inscrever trabalhos sobre o tema "cidades sustentáveis".
Quatro categorias serão premiadas: Graduado, Estudante do Ensino Superior, Estudante do Ensino Médio e Mérito Institucional. Há ainda uma menção honrosa para um pesquisador que se destaque na área.
Adriano diz que o prêmio valoriza o trabalho dos pesquisadores brasileiros. “Prêmio é sempre um incentivo pra que as pessoas continuem lutando. Sempre que alguém diz ‘não vai funcionar’, diga ‘vai funcionar’. E os prêmios ajudam que você diga: ‘eu estou no caminho certo’", comenta Adriano.
As inscrições para o Prêmio Jovem Cientista podem ser feitas a partir de segunda-feira pelos correios ou pela internet.
Fonte: Jornal Hoje


quarta-feira, abril 27, 2011

CÂMARA MUNICIPAL HOMENAGEIA FACULDADE SÃO LUÍS PELOS DEZ ANOS DE FUNDAÇÃO

A Câmara Municipal de São Luís homenageou, ontem (27), os “10 anos de fundação da Faculdade São Luís”, completados no dia 5 de março, com um painel proposto pelo vereador do PPS, Vieira Lima. Na ocasião, foram entregues ainda placas e diplomas de honra ao mérito a vários diretores e coordenadores da instituição, e título de cidadão de São Luís ao professor mestre Geraldo Demosthenes Siqueira.
 
Participaram da mesa da solenidade: a secretária Municipal de Educação, Sueli Tonial; a coordenadora do Curso de Comunicação Social, Luiziane Silva Saraiva, e o diretor geral da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais Aplicadas - Faculdade São Luís, professor mestre Geraldo Demosthenes Siqueira.

“Para transformar a história de nossa Cidade é que no dia 5 de março de 2001 nasceu a Faculdade de Ciências Humanas e Sociais Aplicadas – Faculdade São Luís, com atuação na educação superior no Estado do Maranhão, e, desde então, firmou-se e consolidou-se como ícone da educação em nossa Capital. Hoje, possui mais de 300 colaboradores e instalações perfeitamente adequadas para as excelências do magistério. Possui também a Certificação PROCEM de Qualidade. Formou mais de 3 mil profissionais que, em sua grande maioria, integram o corpo de profissionais qualificados das empresas de nosso Estado. Com certeza um marco em nossa Cidade”, destacou inicialmente o vereador Vieira Lima, referindo-se à instituição. “A qualidade do ensino, a pesquisa, aliado ao sorriso, o aperto de mão, o diálogo, a capacidade de ensinar e o amor pelo trabalho dos docentes, bem como o companheirismo e a vontade de aprender dos discentes, encantam e abrilhantam a todos. Com certeza, isso é o motivo principal para o sucesso da instituição que tem como marca ‘Educação com Seriedade’”, arrematou Vieira Lima.

Na etapa seguinte da cerimônia, foi feita a entrega do título de cidadão ludovicense ao diretor geral da Faculdade São Luís, professor mestre Geraldo Demosthenes Siqueira. Sobre o homenageado, Vieira Lima declarou: “Sou daqueles que acreditam nos novos métodos de liderança, que se assentam na humildade, na competência, no dinamismo, no bom exemplo, no convencimento mútuo entre líder e liderados, no trabalho em equipe. Qualidades intrínsecas ao homenageado. Tenho a convicção de que todos aqui comungam destas mesmas idéias e que, igualmente, sentem como eu, que o agraciado possui experiência, maturidade e conhecimento pleno da verdadeira dimensão do seu papel como administrador”.

Paranaense natural de Pitanga, Geraldo Demosthenes Siqueira graduou-se em Licenciatura Plena em Artes Visuais em 1999 e bacharelado em Computação Gráfica em 2000, ambas pela Universidade de Tuiuti do Paraná (UTP). No ano seguinte, 2001, especializou-se em Comunicação na Era Digital pela Pontifica Universidade Católica (PUC) do Paraná e, em 2005, tornou-se mestre em Comunicação e Linguagens pela UTP. Também cursou Administração de Empresas na FAFIG/PR, de 1982 a 1984. Experiente na área de Administração, com ênfase em administração pública, planejamento organizacional, administração empresarial e corporativa, foi secretário Municipal de Administração de Curitiba (2002-2004) e, também, secretário de Governo da capital do Paraná (2004-2005). Após aceitar convite do Grupo UniBrasil, ainda no ano de 2005 mudou-se para São Luís para assumir a Diretoria Geral da Faculdade São Luís, onde passou a conduzir os rumos da Instituição com dinamismo, profissionalismo e eficiência, transformando e diferenciando o ensino superior, que ao seu ver deve ser pautado sempre na excelência acadêmica.
Fonte: ASCOM CÂMARA

terça-feira, abril 26, 2011

CÓDIGO FLORESTAL

Acontecerá na próxima 6ª feira (29 de abril) das 08:30 às 18:00 horas, o Fórum de Debate sobre o Código Florestal, com o Tema Central: Como conciliar a produção e preservação ambiental.

A discussão sobre o Código Florestal que considere a gestão integrada de território, recursos hídricos e proteção de solos, fundamentada cientificamente.
 
LOCAL: AUDITÓRIO DO CECEN/UEMA

sábado, abril 23, 2011

A ETERNA “RESSURREIÇÃO” DA BARRIGUDEIRA…

A centenária barrigudeira do Colégio Barbosa de Godóis, no Monte Castelo, voltou à mídia na semana que passou.

E mais uma vez pelos mesmos motivos: descaso das autoridades, incompetência dos serviços de catalogação do patrimônio urbanístico de São Luís e desinformação da sociedade.
Foto: Biné
Vítima desta junção de fatores, a pobre árvore agoniza em seus últimos momentos de vida – que poderiam ser prolongados por muito tempo ainda.

Nesta semana, os técnicos da UEMA atestaram a morte da barrigudeira, após a queda de um galho de cerca de sete metros.

A histórica barrigudeira do Monte Castelo encerra assim o seu ciclo de vida.

Será???
Fonte: D'ercio Sá

quinta-feira, abril 21, 2011

PARTE DA BARRIGUDEIRA DO MONTE CASTELO CAI NOVAMENTE


Galhos de uma das árvores mais conhecidas de São Luís, a barrigudeira do Monte Castelo, caiu durante a madrugada desta quarta-feira (20). Por sorte, a queda ocorreu na madrugada, já que a árvore fica localizada no pátio da Unidade Integrada Barbosa de Godóis. Nenhuma pessoa estava no local.

Para quem não se recorda, a famosa barrigudeira do Monte Castelo, que na verdade é uma Sumaúma, foi motivo de vários debates e ações populares. Durante o ano de 2008, moradores do bairro e defensores do meio ambiente fizeram abaixo-assinado e lutaram para impedir a derrubada da árvore centenária, que no fim de 2007, sofreu uma poda drástica feita pelo Impur, o Instituto Municipal de Paisagem Urbana. Na época, um laudo do próprio órgão alertava para o risco iminente de queda. Rebatendo esse diagnóstico, professores da Uema diziam que a árvore precisava apenas de um tratamento adequado.

De lá para cá, a população de São Luís teve a prova de que eles estavam certos. Ela voltou a ter folhas verdes, mas não como antigamente. Por conta das podas inadequadas e da falta de tratamento durante anos, os galhos foram se modificando e os cuidados básicos não existem. Agora, mais uma vez, a árvore se transforma em um risco.

Em janeiro de 2009, o professor Hamilton Almeida, que coordenou o laudo técnico científico da Uema, alertou para novos riscos: os cupins, líquens e outros parasitas que povoam a árvore consomem metade do que a planta produz para viver.
Fonte: Imirante.com

RELATOR DO CÓDIGO FLORESTAL SINALIZA MUDANÇAS NO TEXTO.


O relator do Código Florestal, deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP), concordou em fazer duas alterações no projeto sugeridas pelo deputado Sarney Filho (PV-MA), presidente da Frente Parlamentar do Meio Ambiente.

Os dois parlamentares se encontraram na manhã desta quarta-feira (20) para tratar de pontos pendentes do novo código.

A primeira delas deixa claro na redação do novo código que o limite de 15 metros para as APPs (áreas de preservação permanente) em margem de rio seja exclusivamente para fins de recomposição. O Ministério do Meio Ambiente já sinalizou que concorda em reduzir o limite de 30 metros, como originalmente previsto, para 15 metros, mas ambientalistas alegam que o texto atual dá margem para que propriedades com área de vegetação de 30 metros desmatem metade dessa distância.

"Não existe a possibilidade de área de preservação permanente existente ser reduzida. Como está hoje, a proposta não deixa claro e isso pode permitir novos desmatamentos", disse Sarney Filho.

A outra alteração trata da inclusão no código florestal de benefícios àqueles que, no passado, preservaram a vegetação. O tratamento diferenciado àqueles que não desmataram prevê, por exemplo, a obtenção de crédito agrícola com juros menores e limites maiores e isenção de Imposto Territorial Rural sobre as áreas protegidas conservadas ou em recuperação.

"Eu achei que foi importante o relator ter dito que incorpora nossas duas maiores preocupações, que são justamente não permitir que esse relatório implique em mais desmatamentos e também que não se dê tratamento igual àqueles que cumpriram a lei e não cumpriram", disse Sarney Filho após o encontro.

POLÊMICAS

Outros pontos do Código Florestal, no entanto, ainda continuam sem consenso. O relator do projeto é favorável, por exemplo, à redução para 7,5 metros da área de vegetação nas margens dos rios em propriedades de agricultura familiar. A demanda dos pequenos agricultores enfrenta resistência dos ambientalistas.

Ontem, o presidente da Câmara, deputado Marco Maia (PT-SP), disse que o novo código será votado na Casa na primeira semana de maio.

"Pretendo avançar no sentido do acordo e do consenso, mas nem sempre isso depende do relator. É possível que um ou outro ponto possa ir a voto. Mas as posições então já estarão muito claras e o plenário terá condições de decidir", afirmou Aldo Rebelo.
Fonte: Sarney Filho

terça-feira, abril 19, 2011

AQUECIMENTO SOLAR

O Aquecimento Solar é um ítem fundamental para quem pretende investir em conservação de energia. Aquecer a água com o calor do sol elimina gastos consideráveis nas contas de energia elétrica ou de gás. Ser menos dependente das concessionárias desses serviços me dá uma satisfação especial.

Não se trata de um uso novo mas a novidade esta na tecnologia.

O sitema que escolhemos foi o de aquecimento solar por tubos de vidro a vácuo, da Ecocomfort, que aquece a água muito mais rápido e eficientemente do que os aquecedores de placas solares tradicionais.

Esse sistema de aquecimento utiliza a circulação natural da água, também conhecida como TERMOSIFÃO, que funciona com a diferença de densidade entre a água quente e a água fria. O coletor de tubo de vidro a vácuo é a mais atual e avançada tecnologia na área de aquecimento solar de água. Utiliza um tubo de vidro de parede dupla, construído com vidro de borosilicato de alta resistência. Devido ao vácuo existente no espaço confinado entre as paredes do tubo, o sistema não sofre interferência do meio externo (vento, chuva e dias nublados) e as perdas de calor são extremamente reduzidas.

Características do produto:


• AQUECE A ÁGUA ATÉ 99°C

• NÃO NECESSITA DE BOMBA DE CIRCULAÇÃO

• NÃO APRESENTA PROBLEMA DE CONGELAMENTO

• ALTA EFICIÊNCIA NO INVERNO

• RESISTENTE A CHUVA DE GRANIZO

• CONTROLADOR COM VISUALIZAÇÃO DA TEMPERATURA E NÍVEL DE ÁGUA QUENTE

• PROGRAMAÇÃO DO HORÁRIO DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA FRIA

• MISTURADOR DE ÁGUA QUENTE/FRIA

Fonte: Projeto Casa Container

segunda-feira, abril 18, 2011

MARINHA AUTORIZA A CONSTRUÇÃO DE ESPIGÃO

O Centro de Hidrografia da Marinha do Brasil (CHM), com sede no Rio de Janeiro (RJ), deu parecer favorável à realização da obra de construção do Espigão da Ponta d´Areia. Orçado em R$ 12.038.277,56 milhões, o empreendimento tem previsão para ser iniciado ainda no primeiro semestre deste ano. A Marinha havia solicitado um estudo hidrográfico da área marítima, por causa da alteração da Carta Náutica da Península da Ponta d'Areia. Os documentos foram entregues para a Capitania dos Portos do Maranhão (CPMA) na semana passada, e repassados em seguida para a Secretaria de Estado de Infraestrutura, sexta-feira, dia 25, por meio do ofício 190/CPMA.
De acordo com o capitão-de-Mar-e-Guerra, Nelson Ricardo Calmon Bahia, comandante da CPMA, o levantamento do Centro de Hidrografia da Marinha aponta a falta de empecilhos para que o espigão seja edificado na Ponta d'Areia. "Não haverá alteração na navegabilidade, então, com base nessa análise, nota-se que é possível a realização da obra naquele território", disse.

Segundo Calmon Bahia, com o início da obra, a Capitania dos Portos fará o acompanhamento das atividades, pois é necessário que algumas exigências sejam atendidas. "Durante as atividades, será necessária a sinalização do local com luzes brancas, não ofuscantes, para que os barcos pesqueiros naveguem com segurança e o balizamento, por exemplo. A sinalização deve acompanhar a projeção da obra no mar. Vamos verificar também, com o Ibama, se haverá algum tipo de poluição", explicou.

Licença - A obra do Espigão da Ponta d'Areia estava prevista para ser iniciada em fevereiro deste ano. A Licença Prévia (LP) concedida pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Naturais (Sema) foi entregue ainda no ano passado. Com isso, acabaram-se as restrições ambientais para o início do serviço. No entanto, como a alteração da Carta Náutica ainda deveria ser analisada pela Marinha, houve o adiamento do início dos trabalhos.

O procedimento licitatório para a construção do Espigão Costeiro foi realizado em abril de 2010. A vencedora foi a empresa Ducol Engenharia LTDA, que realizará a obra. Os recursos são do Governo do Estado. O valor (R$ 12.038.277,56 milhões) foi publicado no Diário Oficial do dia 30 de abril do ano passado.

Com a autorização da Marinha e com a Licença Prévia da Sema, o próximo passo do Governo do Estado será apresentar o alvará do empreendimento concedido pela Prefeitura de São Luís, para que em seguida possa ser expedida a Ordem de Serviço.

Mais

O Espigão Costeiro terá 572 metros de extensão, largura inicial de 7 metros e de 13 metros no final da estrutura. A altura deve variar de 4 metros a 14 metros no terreno natural, ficando a 1,4 metro acima do mar, durante a maré alta. O ponto de construção será nas proximidades do Memorial Bandeira Tribuzi. A obra tem o objetivo de conter a erosão e a força das águas principalmente na Península da Ponta d'Areia.
Fonte: O Estado

sábado, abril 16, 2011

URGENTE!

Tem um grupo no Facebook, que foi criado e se chama "Se tornar pai ou mãe, é o grande presente de vida", pois é um grupo criado por pedófilos, possibilidanto acesso às fotos dos nossos filhos.
Fonte: Bianca Rayoul

quinta-feira, abril 14, 2011

GT NA EMBRAPA

A convite da EMBRAPA Cocais e Planícies Inundáveis, estiveram reunidos nesta quarta-feira dia 13/04 em sua sede provisória (Av. Santos Dumont, nº 18 - Bloco 3, Bairro Anil -Incra) a ONG Ilha Verde e a Fundação Gesyka Emmel, o intuito de abordar assuntos referente a implantação de um Projeto de Horta Comunitária no interior da APA do Itapiracó.
 
esquerda para direita: Maurício César, Dr. José de Ribamar Veloso, Dr. Valdemício Ferreira de Sousa, Dra. Guilhermina Cayres, Celso Borges, Maria de Fátima, Dr. Luis Carlos Nogueira
Tal parceria irá contribuir para garantir uma experiência de desenvolvimento sustentável, através de tecnologias de agricultura familiar.

terça-feira, abril 12, 2011

CÂMARA DISCUTE SOBRE CRESCIMENTO DO SETOR IMOBILIÁRIO EM SÃO LUÍS.

A Câmara Municipal de São Luís discutiu, ontem (12), sobre “O crescimento do setor imobiliário e a problemática do saneamento básico x ambiental, para a população da Grande São Luís”. O painel de debate foi solicitado pelo vereador do PSDC, Josué Pinheiro.     
Participaram da mesa da discussão: o secretário municipal de Meio Ambiente, Afonso Henriques de Jesus Lopes; o secretário de Estado da Cidade e Desenvolvimento Urbano, Pedro Fernandes; o presidente do CREA-MA, Raimundo Portelada; o superintendente regional da Caixa Econômica Federal (CEF), Valdemilson Almeida Nascimento, e o gerente de Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Caema, Raimundo Medeiros.
De acordo com o autor do painel, vereador Josué Pinheiro, a discussão vem atender “a um anseio popular quanto à preocupação de receber uma adequada infraestrutura de apoio e a interferência ao ecossistema local, uma vez que é notória a expansão da construção civil em obras habitacionais, em plena atividade, tanto na vertical como horizontal”.
Josué Pinheiro também ressaltou: “A expansão imobiliária atende à demanda reprimida da população que anseia por casa própria, uma iniciativa que aplaudimos. Entretanto, é necessário observarmos as condições em que essas habitações e condomínios de grande porte estão sendo construídos”. Interferência do desmatamento no meio ambiente; risco de contaminação dos rios Pimenta, Anil, Bacanga, Paciência, Tibiri, Cachorros, entre outros; pavimentação e urbanização de ruas, e acesso ao transporte coletivo; saneamento básico e abastecimento d’água são questões que, segundo Josué Pinheiro, “necessitam serem esclarecidas à população, pontuando as medidas a serem adotadas para a solução dos problemas existentes”.
Em sua exposição, o secretário municipal de Meio Ambiente, Afonso Henriques de Jesus Lopes frisou: “Temos uma preocupação muito grande com o meio ambiente desta cidade. Os empreendimentos que estão licenciados pela secretaria, passaram por todo um processo. Se cometeram algum ilícito, responderam ou estão respondendo por isso, seja com embargo, seja com aplicação de multas ou cassação de licenças”.
Já o secretário estadual da Cidade e Desenvolvimento Urbano, Pedro Fernandes disse que, para não se perder em meio à grande demanda, a secretaria está dando foco a três questões importantes: a questão habitacional, ou seja, ao déficit de 500 mil unidades habitacionais no Maranhão; a questão da mobilidade urbana, mas sem a intenção de intervir ou substituir as administrações municipais, e sim no papel de parceiro e articulador das discussões; e a questão de saneamento ambiental. “Não temos dúvida que, a questão do saneamento talvez se apresente como a mais problemática das cidades brasileiras. Além de identificar bons projetos, precisamos ter uma boa gestão para que os recursos sejam aplicados corretamente nessa área”, afirmou Pedro Fernandes.
O representante da Caema, Raimundo Medeiros expôs a visão da Companhia sobre o tema, destacando os itens sobre o abastecimento d’água, as interferências das ações imobiliárias, a perda de mananciais da ilha, e os investimentos necessários nessa área. O presidente do CREA-MA, Raimundo Portelada, e o superintendente regional da CEF, Valdemilson Nascimento, após seus pronunciamentos, disseram que as respectivas instituições estão à disposição da Casa para futuros debates, questionamentos e informações.
Fonte: Diretoria de Comunicação

MURAD VISITA MATERNIDADE EM SÃO JOSÉ DE RIBAMAR

O secretário de Saúde do Maranhão, o deputado estadual Ricardo Murad (PMDB), visitou nesta segunda-feira (11), as instalações do prédio construído para receber a Maternidade Municipal de São José de Ribamar.
A finalidade foi avaliar a inclusão da nova unidade de saúde no plano de reorganização e regionalização do sistema público de saúde do Maranhão, que começa a ser implantado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES).

O novo prédio custou R$ 4 milhões aos cofres da prefeitura, segundo a secretária municipal de Saúde, Cristina Moreira Lima. Na maternidade há possibilidade de se realizar aproximadamente 2.800 partos anualmente, 1.900 a mais do que os ocorridos no hospital municipal, ano passado.
A maternidade contará com 40 leitos e duas recepções, sendo uma para organização de visita e outra para acolhimento de pacientes. Serão dois postos de enfermagem (com 10 enfermarias dotadas com 4 leitos cada uma), uma sala de isolamento, duas salas de parto (com capacidade para dois partos simultâneos), salas de pós-parto e setores administrativos e de apoio, como o de registro civil. Também estão previstos 10 leitos de Unidade de Cuidados Intermediários (UCIs), que já estão com os equipamentos adquiridos.
De acordo com Ricardo Murad, a futura maternidade tem plenas condições físicas para funcionar integrada à rede estadual de saúde, funcionando como pólo de atendimento, prestando serviços não somente às mães de São José de Ribamar, mas de toda a região.
“É um investimento que merece prioridade, uma vez que é de interesse do Governo do Estado implantar uma rede de maternidades referenciadas em atendimento materno-infantil, para atender determinadas regiões. Com um investimento deste porte, Ribamar tem plenas condições de ser um destes pólos”, disse o secretário.
Fonte: Jorge Aragão

sábado, abril 09, 2011

CÓDIGO FLORESTAL: NOVO RELATÓRIO DE ALDO REBELO PODE REDUZIR AINDA MAIS PROTEÇÃO DE ÁREAS DE PRESERVAÇÃO

A nova versão do relatório do deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP) sobre mudanças no Código Florestal pode reduzir ainda mais a proteção de áreas de preservação permanente (APP) nas margens de rios e em volta de nascentes.
Segundo Rebelo, a pedido de representantes da agricultura familiar, as APPs poderão ser diminuídas em até 50%, além da redução já prevista na primeira versão do relatório. A legislação atual prevê que as APPs às margens de rios tenham pelo menos 30 metros de largura.

No texto, Rebelo sugeriu APPs de 15 metros para rios de 5 metros de largura, mas agora cogita exigir apenas 7,5 metros de área de proteção. “Esse é um pedido da agricultura familiar. Concordo e acho que pode ser estendido para outros produtores também. Mas o Ministério do Meio Ambiente não concorda, é um dos pontos que ainda estamos discutindo.”
Fonte: Ambiente Brasil

INCRÍVEL: FAMÍLIA SUPERDOTADA TEM GAROTO FORMADO AOS 14 E IRMÃO NA FACULDADE AOS 11

Carson Huey-You (14 anos) se formou no último mês de maio em Física pela Universidade Cristã do Texas. O garoto é o mais jovem a completa...