quinta-feira, maio 05, 2011

CÓDIGO FLORESTAL: VOTAÇÃO É ADIADA PARA TERÇA-FEIRA (10/05)

A sessão ordinária ainda ocorria nesta quarta-feira (04/05) quando parte do plenário foi chamado para uma reunião que definiria os rumos da votação do novo Código Florestal. Juntos líderes do governo e de partidos da base governista e os ministros da Agricultura, Wagner Rossi, do Meio Ambiente, Izabella Teixeira e das Relações Institucionais, Luiz Sérgio Nobre.

Na noite desta quarta-feira, às 19h, o deputado Carlos Zarattini (PT/SP) saiu da reunião antecipando o que, meia hora depois, ficaria definido: que não haveria votação esta noite. “Temos três opções: somente leitura, leitura e destaques ou tudo na próxima terça-feira (10/05)”. Não deu outra: trinta minutos depois, o ministro Luiz Sérgio anunciaria o adiamento.

Ao sair da reunião, o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Wagner Rossi, disse que são dois os pontos a serem discutidos: a questão dos quatro módulos fiscais e das áreas consolidadas. “O reclame da base é que haja reconhecimento integral”, disse Rossi – referindo-se às áreas consolidadas.

Ele lembrou que durante anos sucessivos governos estimularam o plantio em áreas que foram desmatadas. “As áreas consolidadas não podem ser tratadas segundo a lei de hoje, mas da época”. Ruralista, o ministro não quis avaliar se era bom ou ruim o adiamento e lembrou que a tarefa dele era “aproximar posições”. Isso porque, seu partido, o PMDB, havia “fechado” com o relatório de Aldo Rebelo.

“Como ministro, tenho de aproximar as posições”, reiterou. Ele disse que a senadora Kátia Abreu, intrusa na reunião, foi recebida respeitosamente. Também afirmou que, ao contrário do que disse a deputada Rosane Ferreira (PV-PR), não é um código agrícola. “O código vai ter um grande equilíbrio. O que é desequilibrado é a situação atual”, disse.

Já a senadora Kátia Abreu lembrou que “o exercício da paciência é a prática da democracia”. Além dos dois pontos apontados pelo ministro, Kátia acrescentou mais um: o Programa de Regularização Ambiental (PRA) que, segundo ela, tem de ser feito pelos estados e não pela União.
Fonte: Globo.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SEGUNDO SETOR: FAZENDO A DIFERENÇA

Fonte: Hora 1