sexta-feira, julho 13, 2012

SEXTA FEIRA 13 AMALDIÇOADA


Ao fim da tarde, agentes do rei Felipe IV atacaram, num assalto fulminante, acusaram e prenderam Templários por toda a França. A data tinha sido escolhida pela coincidência da visita à França de vários líderes Templários, incluindo o próprio Grão-Mestre Jacques de Molay.
Por que tudo isso contra os Templários? O que eles fizeram?

Nos julgamentos eles eram acusados de heresia – de participar de práticas obscenas, cuspindo na imagem de Cristo e adorando ídolos (especialmente uma cabaça de bode chamada Baphomet). Eram acusados de bruxaria. Foram ainda acusados de homossexualidade.

Juridicamente, estas prisões eram ilegais. Os Templários respondiam unicamente ao Papa. Mas o atual Papa, Clemente V, devolveu esta condição para Felipe IV (o Belo). O rei francês que transferiu o assento papal de Roma para Avignon na França pediu essa cedência.
Felipe também esteve por trás da morte suspeita do precedente Papa, deixando assim o assento livre à Clemente.
Como publicamente retratou sua confissão, Jacques de Molay, o último de 22 Grãos-Mestres da Ordem dos Pobres Cavaleiros de Cristo e do Templo de Salomão, foi queimado vivo em Paris. E enquanto expirava, amaldiçoou o rei francês e o Papa. 

Sexta-feira, 13 de outubro de 1307. Um dia fatal para os Templários, e lembrado supersticiosamente ainda nos nossos dias como a azarenta “sexta-feira 13”.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

SEGUNDO SETOR: FAZENDO A DIFERENÇA

Fonte: Hora 1