terça-feira, dezembro 25, 2012

HÁ MUITA CORRUPÇÃO EM OBRAS DA COPA, DIZ PEQUISA


A pouco mais de um ano e meio da partida de abertura da Copa do Mundo, pesquisa DATAFOLHA (fonte) mostra que 76% dos entrevistados acreditam que há corrupção nas obras do torneio.

Segurança nas ruas é a maior preocupação do brasileiro para a Copa, diz Datafolha
Apesar do número elevado de pessoas que afirmam que há desvio de recursos públicos, 90% dizem que consideram o Mundial importante para o país (70% pensam que será muito importante, e 20%, um pouco importante).
A pesquisa Datafolha ouviu 2.588 pessoas em 160 municípios no dia 13 de dezembro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.
A percepção de que existe corrupção nas obras da Copa aumenta conforme o grau de escolaridade do pesquisado.
Entre os que possuem o ensino fundamental, 68% acham que está havendo mau uso de dinheiro público.
O percentual sobe para 81% entre os quem têm o ensino médio e para 89% para quem cursou ensino superior.
A ideia de corrupção é menor entre os que têm com renda familiar mais baixa. Na faixa de até dois salários mínimos, o percentual chega a 70%. Sobe para 82% entre os que ganham entre dois e cinco salários e mais oito pontos percentuais no intervalo entre cinco e dez salários.
Na faixa acima de dez salários mínimos, o percentual é pouco menor: 87%.
O número dos que dizem não acreditar em corrupção (9%) é menor dos que responderam não saber (15%).
Para a maioria dos entrevistados (59%), o nível de corrupção nas obras da Copa é igual ao de outras públicas.
Além de ser o maior financiador da Copa, por meio de obras de infraestrutura e empréstimos do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), o governo federal injetará verba diretamente no Mundial.
Já foram compradas cotas de patrocínio nacional, medida que vai na contramão do que o governo sinalizava, de que não haveria injeção de dinheiro público diretamente.
Apesar de a maioria afirmar que acha a Copa importante para o Brasil, apenas 50% se declarou muito interessada pela competição.
Ainda assim, o índice é maior dos que declaram ter muito interesse por futebol (35%). Outros 34% tem um pouco de interesse.
Para 11%, o torneio não será nada importante. O índice é maior entre os mais velhos (acima de 60 anos), com 18%.
Em um outro aspecto de percepção de importância, 43% acreditam que a Copa será pessoalmente muito importante. Esse valor cai gradativamente conforme avança a idade.
Partindo de 46% para o grupo de16 a24 anos e chegando a 38% para aqueles com 60 anos ou mais.
Os que consideram a Copa nada importante somam 28%, mesmo percentual dos que acreditam em pouca importância pessoal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

MEIO AMBIENTE: BOLSA VERDE

É um programa de transferência de renda para famílias em situação de extrema pobreza que vivem em áreas de relevância para a conservação ...