domingo, março 22, 2015

NÃO HÁ VIDA SEM ÁGUA

E a crise hídrica se alastra pelo país. Trata-se de um problema grave e sem soluções de curto prazo (a não ser fechar as torneiras, claro), que já está transformando nossos hábitos de consumo.

E qualquer atitude para economizar e até mesmo purificar a água são sempre bem-vindas. Veja algumas invenções geniais e engenhocas de vários lugares do mundo que inspiram o consumo consciente do nosso bem mais valioso. 

TABLADO’ AJUDA A REUTILIZAR 90% DA ÁGUA DO BANHO: O designer húngaro Alberto Vasquez criou o GRIS, espécie de tablado que armazena a água do banho. São quatro compartimentos interligados com capacidade de armazenar até 10 litros.

Quando conectados, os compartimentos formam inclinação no centro, o que permite que a água escorra e entre no tablado. Depois do banho, é possível separar as quatro partes e usar a água ali armazenada para lavar o banheiro, a cozinha, o quintal, para dar descarga, entre outras opções.

Segundo Vasquez, o Gris é mais eficiente do que bacias porque coleta até 90% da água do banho, enquanto baldes reaproveitam apenas 30%. O produto ainda não está à venda, mas tem muito potencial para dar certo. O criador imagina que o tablado irá custar em torno de 60 reais.

TIJOLO DE BORRACHA ECONOMIZA NA DESCARGA:
Um grupo de americanos criou outra engenhoca interessante para economizar água na hora da descarga. O DROP-A-BRICK (Solte um tijolo, em tradução livre) é um tijolo ecológico de borracha que afunda e preenche parte do espaço das caixas de descargas, diminuindo a entrada (e saída) de água, ou seja, o desperdício. Durante o financiamento coletivo, o tijolo foi vendido no site Indiegogo por 15 dólares. Mas a campanha só conseguiu arrecadar 50% do valor necessário.

Usar tijolos de alvenaria com essa finalidade não é novidade, mas com certeza também não é 100% seguro como o Drop-A-Brick. Mas quem não quiser comprar o tijolo de borracha, já pode adotar um jeito mais prático e simples de economizar água da descarga: colocar garrafas de plástico cheias de água ou areia dentro da caixa. A quantidade de garrafas depende do tamanho da caixa e da economia que se quer fazer. Esta pequena atitude pode economizar cerca de dois litros de água a cada descarga.

BOTÃO EVITA DESPERDÍCIO NA HORA DA DESCARGA: O brasileiro Gerson Luiz Maezano criou o ACQUALÓGICO, botão universal de baixo custo para privadas com caixa. A engenhoca deve substituir botões tradicionais de descargas, mas sem precisa trocar o mecanismo interno.

O botão libera dois volumes de água. Um deles é para resíduos sólidos e o outro para líquidos. A troca permite uma economia de até 60% a cada vez que a descarga for acionada pelo usuário. O preço é de aproximadamente 15 reais e a peça é simples de trocar como uma lâmpada.

TORNEIRA ECONOMIZA 15% DA ÁGUA: Também existem engenhocas mais complexas. Criar um simples sistema de economia de água, por exemplo, não era o suficiente para Simin Qiu, estudante do Royal College of Art, em Londres. Por isso, ele trabalhou na criação da SWIRL, torneira com design especial.

Ela envia água por meio de uma turbina dupla e uma série de furinhos, criando “desenhos” incríveis. São três bicos dosadores que permitem ao usuário escolher a quantidade de água e o desenho desejado. Além disso, o sistema limita o fluxo de água em 15% quando a torneira fica mais de 60 segundos aberta. A ideia rendeu ao garoto o Prêmio Conceito iF Design em 2014. Mas ainda não há previsão de venda do seu invento.

GARRAFA PURIFICA 99,9% DAS IMPUREZAS DA ÁGUA: Esta ideia genial a gente já revelou aqui no site: um grupo de designers suecos criou a OKOPURE, garrafa capaz de transformar qualquer líquido em água. A filtragem acontece com ajuda de uma série de pequenos poros. Eles prometem eliminar 99,9% das impurezas e ainda absorver agentes nocivos à saúde.

São vendidos três filtros diferentes, cada um com capacidade diferente (550 ml, 650 ml e 1000 ml). O menor deles custa 22,95 dólares, enquanto o maior custa 24,95 dólares. Ainda é caro, mas uma ótima alternativa em países ou regiões muito pobres, onde não há saneamento básico. Ou em casos de eventos extremos – furacões, tufões, tsunamis e terremotos – ou guerras.

ENGENHOCA GERA ELETRICIDADE E PURIFICA ÁGUA COM ENERGIA DO SOL: Preocupada com a quantidade de pessoas sem acesso à água potável no mundo, Cynthia Sin Nga Lam, estudante australiana de 17 anos, desenvolveu o H2pro, um dispositivo barato e portátil capaz de purificar águas residuais e gerar eletricidade. Isso, a partir do uso de um ingrediente muito abundante em qualquer lugar do planeta: a luz do Sol.

A água suja entra na parte superior do invento e passa por uma malha de titânio que esteriliza a água quando ativada pela energia solar. Essa reação divide água em oxigênio e hidrogênio, que por sua vez é usado para gerar energia. O mais legal é que impurezas na água, como detergentes, geram mais hidrogênio e, consequentemente, mais energia.

SISTEMA PURIFICA ÁGUA COM A LUZ DO SOL: Outro jovem que teve uma ideia genial foi Deshawn Henry, estudante de Engenharia Civil da Universidade de Buffalo, nos Estados Unidos. Ele criou uma lente solar capaz de filtrar água com materiais baratos que garimpou em uma loja de hardware.

A lente aumenta a luz solar e aquece um litro de água. O processo elimina agentes patogênicos e deixa a água potável. O estudante ainda planeja aprimorar a engenhoca e criar uma lente maior, que conseguirá limpar uma quantidade maior de água de uma vez só.

O sistema de baixo custo tem potencial para ajudar comunidades mais carentes que vivem em regiões ensolaradas sem precisar gastar energia ou depender de tecnologias importadas.

DISPOSITIVO CONTROLA CONSUMO DE ÁGUA E ENVIA INFORMAÇÕES PARA CELULAR: Outra notícia bacana que já mostramos aqui no site do Planeta Sustentável: um grupo de ativistas americanos criou o WATER HERO (“herói da água”, em tradução livre): dispositivo que, conectado ao medidor de água, fornece informações simultâneas sobre o consumo para o smartphone do usuário por meio de um aplicativo.

Para ajudar usuários mais leigos, o sistema converte medidas para litros ou galões e mostra até gráficos sobre o consumo de água. Se o sistema detecta volume muito alto, pode fechar o registro de onde o dispositivo está instalado.

A tecnologia ainda não chegou ao mercado global, mas a previsão é que isso aconteça até o final de 2015. O aplicativo é gratuito, mas o aparelho para controle do registro custa cerca de 200 dólares.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

MEIO AMBIENTE: BOLSA VERDE

É um programa de transferência de renda para famílias em situação de extrema pobreza que vivem em áreas de relevância para a conservação ...