sexta-feira, setembro 29, 2017

MEIO AMBIENTE: TINTA QUE COMBATE O CALOR

Os ventiladores de teto e os aparelhos de ar condicionado conseguiram apenas aliviar os efeitos da sufocante onda de calor que atingiu o sul da Califórnia recentemente.
Foram dias em que a maioria dos moradores de Los Angeles desejaram morar em um dos bairros que há algumas semanas testa uma nova ideia para combater as altas temperaturas.

Trata-se do CoolSeal ("selo fresco", em tradução livre), uma espécie de pintura de cor cinza claro que "refresca" o asfalto e que foi criada para combater o chamado fenômeno da "ilha de calor" urbana.

Não é de se estranhar que o projeto piloto para colocar à prova a eficácia do CoolSeal tenha começado na cidade de Los Angeles.
Cercada pelo deserto e coberta por milhares de quilômetros de asfalto, a maior cidade da Califórnia é um exemplo do efeito da ilha de calor, um fenômeno térmico que ocorre nas regiões urbanas por causa das bolsas de altas temperaturas, um efeito da combinação de cimento, asfalto, telhados escuros e escassez de árvores.
No momento, os resultados são animadores, disse à imprensa Greg Spotts, diretor-assistente do departamento de manutenção de ruas da prefeitura de Los Angeles.

terça-feira, setembro 26, 2017

LOGÍSTICA REVERSA: COMITÊ APROVA DIRETRIZES

Foi publicada nesta terça-feira (26/09), no Diário Oficial da União (DOU), a deliberação nº 11 do Comitê Orientador para a Implementação de Sistemas de Logística Reversa (CORI) com diretrizes para a atuação dos agentes públicos, iniciativa privada e sociedade civil nas atividades ligadas à área.
“Essa deliberação tem um caráter educativo e o papel de servir como orientação a todos os entes envolvidos nas cadeias de logística reversa, fabricantes, importadores, distribuidores, comerciantes, o consumidor, que tem que fazer o descarte adequado e, eventualmente, o serviço local de limpeza pública, que pode estar envolvido na cadeia”, afirma a diretora do Departamento de Qualidade Ambiental e Gestão de Resíduos do Ministério do Meio Ambiente, Zilda Veloso.
De acordo com Zilda, a deliberação foi construída a partir de um pedido do setor de eletroeletrônicos dentro do processo de construção do acordo setorial. “Ela representa uma luz sobre alguns pontos da logística reversa como possibilitar o entendimento de que os resíduos descartados pelo consumidor podem ser recolhidos em pontos estratégicos dentro do comércio e daí levados aos processos de reciclagem mesmo que inclua o trabalho dos catadores ou das prefeituras”, explica.
Criado pelo Decreto nº 7.040, de 23 de dezembro de 2010, que regulamenta a Política Nacional de Resíduos Sólidos, o CORI é presidido pelo Ministério do Meio Ambiente. Sua composição inclui os Ministérios de Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior, Agricultura, Pecuária e Abastecimento, da Fazenda e da Saúde.
DIRETRIZES
A deliberação pauta o desenvolvimento de estratégias sustentáveis e a adoção de medidas e alternativas para a não geração de resíduos sólidos no ciclo de vida dos produtos. Também a promoção do aproveitamento de resíduos sólidos, direcionando-os para a sua cadeia produtiva ou para outras cadeias produtivas; a utilização de insumos de menor agressividade ao meio ambiente e de maior sustentabilidade e o incentivo à utilização de insumos de menos agressividade ao meio ambiente.
Ainda o estímulo ao desenvolvimento, a produção e o consumo de produtos derivados de materiais reciclados e recicláveis; o incentivo à utilização de produtos e embalagens com maior reciclabilidade; o estímulo à participação de cooperativas e associações de catadores de materiais recicláveis na coleta seletiva de resíduos; a manutenção de sistema de informação atualizado e disponível, permitindo uma adequada fiscalização e controle.
A deliberação também abrange a necessidade de integrar aos sistemas de logística reversa, por meio de acordos setoriais ou termos de compromisso, os geradores de resíduos que não sejam classificados como domiciliares ou a eles equiparados pelo poder público local. 
Outro ponto é a possibilidade de fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes instituírem entidade gestora, dotada de personalidade jurídica própria, com o objetivo de implementar sistema de logística reversa, bem como cuidar de sua operação e administração. Nesse sentido, havendo viabilidade técnica e econômica, os sistemas de logística reversa podem prever a criação de mais de uma entidade gestora, sendo permitido às empresas participantes filiar-se a uma ou mais delas.
Ela determina ainda que fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes de produtos e embalagens objeto de logística reversa, instituída por acordo setorial firmado com a União, que não tenham assinado esse instrumento, são obrigados a implementar e operacionalizar sistemas de logística reversa com as mesmas obrigações imputadas aos signatários e aderentes dos respectivos acordos.
Fonte: MMA

domingo, setembro 24, 2017

ADECOI INFORMA: BRIGADA VOLUNTÁRIA AMBIENTAL DAS ÁREAS DE PROTEÇÃO AMBIENTAL - ITAPIRACÓ E BACANGA

Hoje (24/09) pela manhã houve a primeira aula de educação física conjugada da Brigada Voluntária Ambiental das Áreas de Proteção Ambiental - ITAPIRACÓ E BACANGA. Foi um dia de escutar a palavra cristã com o pastor Raimundo, tivemos a presença do Presidente da ADECOI (Associação dos Defensores do Complexo do Itapiracó) Lucas Santos e a Comandante do BPA (Batalhão de Policiamento Ambiental) Ten.  Cel. Edilene.

Na oportunidade o senhor Lucas Santos apresentou para o BVA, os senhores professor Zezão (Associação Beneficente dos Moradores do Matões Turu), o senhor Chicó e o professor Mário Júnior, destacando suas lutas em prol do povo e agradecendo aos mesmo. Nesse liame a aula foi um sucesso total, os alunos tiveram aula de funcional de alta qualidade com instrutor do BPA, e depois foram para o tradicional lanche que a ADECOI E O BPA promoveram recheado de muitas frutas, suco, e outras coisas, destacando a atuação das voluntárias que contribuir nas atividades, a Professora Silvana é a Conselheira Fiscal da ADECOI Dona Sindia.
 Ressaltando o companheirismo e a integração do BVA que por mais que tenha dois pólos, é UMA ÚNICA FAMÍLIA VISANDO SEMPRE O RESPEITO E HARMONIA ENTRE SEUS MEMBROS.

Portanto deixo aqui a mensagem do seu presidente Lucas Santos:

O povo contribui para aquele que o protege!

Então um bom domingo a todos meus amigos.

SAMPAIO: VAI JOGAR NA SÉRIE B DE 2018

Após o empate em 1 a 1 com o Volta Redonda, que selou o retorno do Sampaio à Série B, o elenco Tricolor comemorou a conquista com um título no Castelão.

quinta-feira, setembro 21, 2017

ACABOU A ORGIA RELIGIOSA: PAPA FRANCISCO ANUNCIA FIM DA POSSIBILIDADE DE RECURSO PARA PADRES QUE COMETEM PEDOFILIA

O Papa Francisco anunciou nesta quinta-feira (21/09) que não haverá mais a possibilidade de um religioso efetivamente condenado por abuso sexual contra um menor de idade apresentar recurso. O comunicado foi feito durante a recepção dos membros da Pontifícia Comissão para a Tutela dos Menores, organismo criado pelo pontífice para trabalhar pela educação e prevenção de abusos dentro Igreja Católica. Durante um discurso duro, Francisco reconheceu o problema presente na Igreja e também à lentidão existente na hora de analisar os muitos casos que chegam. De acordo com ele, os atrasos se devem a dois fatores: a falta de pessoal e os vários pedidos de recurso.

Por esse motivo, o papa anunciou que não será mais possível que, depois de ser condenado por abuso, um religioso possa recorrer. "Se há provas, ponto. (A sentença) é definitiva", declarou. Em seu discurso, Francisco afirmou que uma pessoa que comete um abuso é "doente" e não pode ser perdoada pois pode voltar a cometer o mesmo crime em pouco tempo. "Temos que botar na cabeça que é uma doença", afirmou ele, salientando a "tolerância zero contra os abusos".

segunda-feira, setembro 18, 2017

ADECOI INFORMA: AÇÕES DA BRIGADA VOLUNTÁRIA AMBIENTAL

A Associação dos Defensores do Complexo Itapiracó( ADECOI) esteve presente nas pessoas da dona Sindia e Silvana na ação com o Batalhão de Policia Ambiental (BPA/MA) e a Secretaria de Estado do Meio Ambiente – SEMA, para realização de um dia de Educação Ambiental para a Brigada Voluntária Ambiental, Polos Itapiracó e Coroadinho.

Na oportunidade a ADECOI fez um apelo de SOS para os rios do Itapiracó destinado a superintendente de biodiversidade e áreas protegidas, que é a digníssima Janaína Dantas, a qual expressou confiança para todos que está demanda seria analisada. E seguindo a aula os brigadistas tiveram um dia rico em conhecimento ambiental com a SEMA, e em seguida houve o lanche, é a posteriori o encerramento.


Um dia muito maravilhoso é que tenha muito outros.










Fonte: ADECOI

quarta-feira, setembro 06, 2017

CONTABILIZADO: R$ 51 MILHÕES DE REAIS

A Polícia Federal terminou a contagem dos valores apreendidos no apartamento de Geddel Vieira Lima. Foram apreendidos R$ 51 milhões. O dinheiro será depositado em uma conta judicial.

Valores finais:

R$ 42.643,500,00 (quarenta e dois milhões, seiscentos e quarenta e três mil e quinhentos reais)

US$ 2.688,000,00 (dois milhões, seiscentos e oitenta e oito mil dólares americanos). Cotação do dia R$ 8.387.366,40


Total = R$ 51.030.866,40 (cinquenta e um milhões, trinta mil, oitocentos e sessenta e seis reais e quarenta centavos)*

terça-feira, setembro 05, 2017

CORRUPÇÃO: PF ENCONTRA MALAS E CAIXAS CHEIAS DE DINHEIRO EM IMÓVEL LIGADO A GEDDEL

A Polícia Federal encontrou nesta terça-feira (5) um “bunker” utilizado para guardar dinheiro que seria usado pelo ex-ministro de Michel Temer, Geddel Vieira Lima, investigado no âmbito da Operação Cui Bono, que está em prisão domiciliar após habeas corpus concedido pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região.

As imagens mostram malas de viagem e caixas de papelão repletas de maços de notas de R$ 100 e R$ 50. O apartamento fica em Salvado e e a chamada “Operação Tesouro” foi autorizada pela 10ª Vara Federal de Brasília.


De acordo com a PF, os valores apreendidos serão transportados a um banco, onde serão contabilizados e depositados em uma conta sob o controle da Justiça.

sábado, setembro 02, 2017

DEGRADAÇÃO AMBIENTAL: IMPACTOS AMBIENTAIS COM O FECHAMENTO DA ALUMAR

Energia sobrando, uma ferrovia nova e um complexo portuário estratégico perto das minas bauxita e dos principais mercados do mundo. Tudo isso aliado ainda a um estado generoso disposto a conceder incentivos fiscais a perder de vista. Assim foi o começo da ALUMAR no Maranhão. Mas tudo mudou em 2015, quando a empresa anunciou o fim das operações de fundição em São Luís.

As alegações para o fim das atividades foram à crise mundial e o aumento nos custos de produção. Sobretudo da energia. O consumo era tão alto, que no pico de produção, o consumo chegou a ser três vezes maior que todo o consumo do Maranhão.

Quando operava, os navios eram cheios de lingotes de alumínio com teor acima de 99%, um dos metais mais puros do mundo. Em troca, a ALUMAR prometeu bons salários e investimento nos maranhenses.

Doutor Antônio Carlos Leal, do Departamento de Oceanografia da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), há 40 anos conduz uma série de pesquisas nas comunidades do entorno do Distrito Industrial de São Luís. Um desses trabalhos, ‘Impactos socioambientais nas comunidades rurais do entorno do Distrito Industrial da Ilha de São Luís’, foi publico com destaque no Canadá. O levantamento científico teve a participação também da mestre em sustentabilidade Tatiana Cristina.

Os estudos mostram que 30 anos após as instalações das primeiras indústrias na região oeste da Ilha de São Luís o rendimento familiar (soma de todos os rendimentos dos moradores de uma casa) é abaixo de um salário mínimo (R$ 937), e 15% das famílias dependem de carros-pipa, poço ou cacimba para ter água em casa. E mais de 85% dos moradores apontaram algum tipo de impacto ambiental na região e responsabilizam as indústrias por conta dessa mudança no meio ambiente.

Em 26 anos, 4.432 ha de paisagem natural sumiram. O manguezal desapareceu em 1.437 há. Uma parte desse manguezal foi cortada para a instalação do porto da ALUMAR.

“A gente imaginava que as populações próximas desses grandes empreendimentos pudessem ser beneficiadas, mas isso não aconteceu. Com a implantação da ALUMAR, comunidades de pescadores de Itaperuçu, Santa Cruz e Tainha desapareceram para dar origem ao grande empreendimento”, disse Antônio Carlos Leal.

Fonte: G1MA

COMPLEXO COHATRAC: CIÊNCIA NA PRAÇA

Mais uma edição do projeto “Ciência na Praça” será realizada em São Luís. Dessa vez o bairro beneficiado com as atividades será o Cohatrac....