terça-feira, abril 12, 2011

CÂMARA DISCUTE SOBRE CRESCIMENTO DO SETOR IMOBILIÁRIO EM SÃO LUÍS.

A Câmara Municipal de São Luís discutiu, ontem (12), sobre “O crescimento do setor imobiliário e a problemática do saneamento básico x ambiental, para a população da Grande São Luís”. O painel de debate foi solicitado pelo vereador do PSDC, Josué Pinheiro.     
Participaram da mesa da discussão: o secretário municipal de Meio Ambiente, Afonso Henriques de Jesus Lopes; o secretário de Estado da Cidade e Desenvolvimento Urbano, Pedro Fernandes; o presidente do CREA-MA, Raimundo Portelada; o superintendente regional da Caixa Econômica Federal (CEF), Valdemilson Almeida Nascimento, e o gerente de Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Caema, Raimundo Medeiros.
De acordo com o autor do painel, vereador Josué Pinheiro, a discussão vem atender “a um anseio popular quanto à preocupação de receber uma adequada infraestrutura de apoio e a interferência ao ecossistema local, uma vez que é notória a expansão da construção civil em obras habitacionais, em plena atividade, tanto na vertical como horizontal”.
Josué Pinheiro também ressaltou: “A expansão imobiliária atende à demanda reprimida da população que anseia por casa própria, uma iniciativa que aplaudimos. Entretanto, é necessário observarmos as condições em que essas habitações e condomínios de grande porte estão sendo construídos”. Interferência do desmatamento no meio ambiente; risco de contaminação dos rios Pimenta, Anil, Bacanga, Paciência, Tibiri, Cachorros, entre outros; pavimentação e urbanização de ruas, e acesso ao transporte coletivo; saneamento básico e abastecimento d’água são questões que, segundo Josué Pinheiro, “necessitam serem esclarecidas à população, pontuando as medidas a serem adotadas para a solução dos problemas existentes”.
Em sua exposição, o secretário municipal de Meio Ambiente, Afonso Henriques de Jesus Lopes frisou: “Temos uma preocupação muito grande com o meio ambiente desta cidade. Os empreendimentos que estão licenciados pela secretaria, passaram por todo um processo. Se cometeram algum ilícito, responderam ou estão respondendo por isso, seja com embargo, seja com aplicação de multas ou cassação de licenças”.
Já o secretário estadual da Cidade e Desenvolvimento Urbano, Pedro Fernandes disse que, para não se perder em meio à grande demanda, a secretaria está dando foco a três questões importantes: a questão habitacional, ou seja, ao déficit de 500 mil unidades habitacionais no Maranhão; a questão da mobilidade urbana, mas sem a intenção de intervir ou substituir as administrações municipais, e sim no papel de parceiro e articulador das discussões; e a questão de saneamento ambiental. “Não temos dúvida que, a questão do saneamento talvez se apresente como a mais problemática das cidades brasileiras. Além de identificar bons projetos, precisamos ter uma boa gestão para que os recursos sejam aplicados corretamente nessa área”, afirmou Pedro Fernandes.
O representante da Caema, Raimundo Medeiros expôs a visão da Companhia sobre o tema, destacando os itens sobre o abastecimento d’água, as interferências das ações imobiliárias, a perda de mananciais da ilha, e os investimentos necessários nessa área. O presidente do CREA-MA, Raimundo Portelada, e o superintendente regional da CEF, Valdemilson Nascimento, após seus pronunciamentos, disseram que as respectivas instituições estão à disposição da Casa para futuros debates, questionamentos e informações.
Fonte: Diretoria de Comunicação

Nenhum comentário:

Postar um comentário

GESTÃO COMUNITÁRIA: A PRAÇA DAS ÁRVORES EM EXERCÍCIO DE PERTENCIMENTO

Mais um acontecimento histórico na praça das Árvores. A paisagem da praça foi alvo da câmera de 4 fotógrafos amadores que por 01 hora procu...