terça-feira, julho 27, 2010

PROBLEMA CAUSADO PELO DESMATAMENTO...

CANADÁ DÁ A GAÚCHO PRÊMIO POR INOVAÇÃO

O brasileiro naturalizado canadense Leonardo Simon criou, com palha de trigo, plástico renovável que já está sendo usado em carros.
"É errado achar que só o Brasil tem dificuldade para tornar comercial uma ideia que surge na universidade. Países como o Canadá também vivem esse drama."
Justamente por vencer a barreira que descreve, o gaúcho Leonardo Simon, da Universidade de Waterloo, apareceu na lista anual dos 40 canadenses com menos de 40 anos que fizeram algo relevante pelo país, elaborada pelo mais importante jornal de lá, o "Globe and Mail".
Exemplo da "fuga de cérebros", quando gente qualificada vai trabalhar no exterior, ele conseguiu fazer com que a Ford do Canadá usasse um plástico renovável, feito a partir de palha de trigo.

O COMEÇO
Por enquanto, o novo plástico é utilizado apenas em algumas peças do Ford Flex, um utilitário grande o suficiente para causar alguma culpa ambiental no proprietário. Simon acredita que seja só o começo. "O importante é que se tornou comercial. Continuamos trabalhando."
O "Globe and Mail" apresentou Simon com um texto empolgado, dizendo que ele está "revolucionando a composição dos plásticos". Já foram premiados o prefeito de Vancouver, vários empresários de sucesso e, nesta edição, até o diretor da Escola Nacional de Ballet do país.
Ele afirma que não está ficando rico. "Tenho salário de professor, vida confortável", diz. Aos 38 anos, não pretende voltar ao Brasil tão cedo.
Adaptou-se ao Canadá, onde vive há dez anos com a mulher, também brasileira e cientista. Há três anos tiveram um filho, que Simon leva para jogar futebol em um parquinho o qual, no inverno, é usado para patinação.
Ele não acha que o Brasil deveria lamentar sua ausência. "Agora o país tem alguém aqui para colaborar com suas universidades. Alguém que conversa em português e come churrasco, para quem a questão cultural não é uma barreira." Sem isso, o intercâmbio de projetos ficaria comprometido, diz.
Fonte: Folha.com

sábado, julho 24, 2010

EMBALAGEM ÚTIL

Os sites especializados na arte de comer, beber e se divertir, ajudam as pessoas escolher a melhor embalagem acondicionar comida.

Eles deram nota de 1 a 5 para cada opção, considerando o impacto ambiental de cada uma. Resumindo:

ISOPOR, como aquele para manter café quente. Esse material simplesmente torna-se uma parte permanente do meio ambiente: ficará lá para sempre entulhando o mundo. Cidades americanas estão começando a proibir essas embalagens.
Nota 1
Caixas de plástico, como aquelas muito empregadas em saladas ou frutas no supermercado. Além de serem feitas de petróleo, que está em falta e cuja exploração causa vários danos ambientais, tem substâncias potencialmente nocivas que podem contaminar a comida.
Nota 2
Sacos plásticos ou de papel, como os de supermercado. É difícil determinar qual dos dois é menos pior – depende das taxas de reciclagem de cada material em sua cidade. A decisão é entre derrubar árvores ou colocar material não biodegradável no mundo. O ideal é escolher pensando em qual dos dois você tem alguma chance de reutilizar.

Nota 3
Papel alumínio. Alumínio é abundante (embora não infinito) e pode ser reciclado quantas vezes for necessário (o que é ótimo, mas consome energia).
Papel reciclado. Que também não é perfeito, porque sua produção gasta energia. Além disso, geralmente não há garantia de que o papel seja 100% reciclado – e, se não é, árvores morrerão.

Nota 4
Embalagem comestível. Cones de sorvete, pão recheado de sopa… Ou folhas de banana enroladas, que não são comestíveis, mas não poluem. Mas não adianta nada se você se melecar todo e precisar de 20 guardanapos de papel para se limpar.
Nota 5

sexta-feira, julho 23, 2010

AVES MIGRATÓRIAS NOS LENÇÓIS


As revoadas indicam a rota de migração das aves pela costa norte do Maranhão. Guarás, gaivotas e talharamares utilizam as florestas alagadas, entre o continente e o mar, para invernada e a reprodução.
As aves escolhem os galhos mais altos e as regiões mais preservadas para fazer os ninhos. A temporada é de nascimento dos filhotes. Muitos se assustam diante da ameaça dos predadores.
A rota de migração dessas aves está sendo mapeada por um grupo de biólogos e ambientalistas brasileiros, em uma missão chefiada pela Universidade Federal do Maranhão. A expedição entrou nos manguezais e percorreu as dunas do Parque Nacional dos Lençóis, na costa leste do estado.
Gaivotas e maçaricos também aproveitam a estação para reproduzir. Não é por acaso que as aves costeiras escolhem as dunas para fazer os ninhos. É um modo de se proteger dos predadores. Enxergar os ovos na areia branca só de muito perto, pois os ovos se confundem entre os grãos de areia.
“Essa é uma época muito apropriada, porque existem várias espécies que estão em momento de migração para essa região, pois o local tem uma boa disponibilidade de alimentos”, diz a analista ambiental Kenya Valadares.
A faixa, que vai desde o Delta do Parnaíba, na divisa do Piauí, até a costa do Amapá, integra o Corredor das Américas. Uma rota de aves costeiras que fogem das regiões geladas do planeta, em busca de refúgio sob o sol do Equador.

terça-feira, julho 20, 2010

MARANHÃO É RECORDISTA EM EMPREGOS NO BRASIL

Mais de 80 mil postos de trabalho foram criados no Maranhão nos primeiros seis meses de 2010. Essa é marca do estado, segundo dados divulgados na última quinta-feira (15) do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

O resultado é o melhor já registrado no Maranhão. De junho de 2009 a junho de 2010 foram criados 159.692 novos empregos, com uma variação positiva de 6,78%. Só em junho, foram gerados 16.948 empregos de carteira assinada, o que equivale a expansão de 1,33% na quantidade de empregados formais do mês anterior.

Em termos absolutos e relativos, o desempenho foi o melhor de toda a série histórica do Caged para este período do ano. Os setores que mais empregaram em junho foram: Construção Civil, com 5.549 novos empregos; comércio, com 3.800 novos postos de trabalho; serviços, com 3.457 novos empregados; e agropecuária, com 2.523 novos empregos com carteira assinada.

De acordo com o secretário de Trabalho, José Antônio Heluy, o resultado do Caged para o mês de junho “traz ânimo e força para, cada vez mais, gerar novos empregos no Maranhão”. O secretário explica que o desempenho do mesmo período do ano passado chegou a ser negativo. “Foram menos 1.163 empregos em junho de 2009, o que significa que naquele período, tivemos mais demissões do que contratações”, declarou.

Na opinião de Antônio Heluy, o Maranhão deve ter um crescimento maior daqui para a frente. “Temos muitos grandes projetos a serem instalados em nosso Estado. Alguns já começaram a se instalar, então já estamos vendo o bom resultado disso”, ponderou.

Nos próximos cinco anos, serão investidos no Maranhão cerca de R$ 100 bilhões.

Investimentos

De acordo com o secretário de Planejamento e Orçamento, Fábio Gondim, a taxa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do estado obteve melhores resultados em comparação com outros estados brasileiros. "Temos um crescimento acima da média nacional. Certamente, o Maranhão vai ver o maior crescimento de PIB de todo o Brasil, afinal, é o que já está acontecendo", finalizou.

Veja quadro de investimentos gerados no Maranhão

REFINARIA PREMIUM I – PETROBRAS
Local: Bacabeira
Operação: set/2013 e set/2015
Investimento: US$ 19,8 Bilhões
Empregos:
Cerca de 132 mil empregos (diretos e indiretos).

SUZANO PAPEL E CELULOSE
Local: Imperatriz
Investimento previsto: R$ 3,6 bilhões
Empregos: 23 mil

ALUMAR
(Consórcio Alumínio do Maranhão)
Local: São Luís

Expansão da Refinaria
Investimento: R$ 5,2 bilhões
Empregos: Mais de 13 mil

EXPANSÃO VALE NO MARANHÃO
Incremento de 100 milhões de ton./ano
Investimentos: US$ 7 bilhões (2009 – 2016), entre prolongamento e duplicação de 605 Km da (Estrada de Ferro Carajás), ampliação do Terminal Ferroviário de Ponta da Madeira, ampliação do Terminal Portuário de Ponta da Madeira e Construção do Píer IV.

GUSA NORDESTE - ACIARIA
Local: Açailândia
Investimento: R$ 300 milhões
Empregos
Implantação: 1.000
Operação: 1.000 (diretos e indiretos)

ENERGIA - HIDRELÉTRICA
UHE Estreito, do Consórcio Estreito Energia (CESTE)
Local: Estreito
Investimento: R$ 3,6 bilhões
Empregos: 8 mil

ENERGIA - TERMELÉTRICAS
UTE Porto do Itaqui
(Itaqui Energia - Grupo MPX)
Local: São Luís
Investimento: R$ 1,4 bilhão
Empregos: 6.000 (diretos e indiretos)
UTE Geranorte
(Grupo Geranorte)
Local: Miranda do Norte
Investimento: R$ 600 milhões
Empregos: 3.000 (diretos e indiretos)

PORTO DO ITAQUI
RECUPERAÇÃO E MODERNIZAÇÃO
Local: São Luís
Investimentos previstos: R$ 439 milhões, entre Recuperação estrutural dos berços 101 e 102, Dragagem dos berços 100 ao 103, Construção do Berço 108, Construção do berço 100 e retroárea (72.000 m²), Terminal de Grãos (TEGRAM)

DUPLICAÇÃO DE PRODUÇÃO DA AMBEV NO MARANHÃO
Local: São Luís
Investimento previsto: R$ 200 milhões
Empregos atuais: 363 pessoas, chegando a 2 mil em todo o estado

BRASCOPPER
Local: São Luís
Investimento: R$ 80 milhões
Empregos: 140 diretos (fase de operação)
200 diretos (fase de implantação)

NOTARO ALIMENTOS
Local: Balsas
Investimento: Cerca de R$ 146 milhões
Complexo avícola para a criação de aves, produção de ovos férteis, incubatório, fábrica de ração e beneficiamento de soja para produção de óleo e farelo, integração avícola, abatedouro industrial, indústria de embutidos e centro de distribuição.
Empregos diretos: 2.800

MINERADORA AURIZONA
Local: Godofredo Viana - Distrito de Aurizona
Investimento: da ordem de R$ 80 milhõesEmpregos: 1.200 (diretos e indiretos).
Fonte: Blog Hildo Rocha

quinta-feira, julho 15, 2010

II CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMMAM), promove a II Conferência Municipal de Meio Ambiente cujo tema será “RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL: COMPROMISSO DE TODOS” que ocorrerá entre os dias 29 e 30 de julho, Praia Mar Hotel (Av. São Marcos Ponta D’Areia).
O evento deste ano terá como objetivos, proporcionar a integração dos vários segmentos sociais envolvidos nas questões ambientais do município, promovendo o debate e a elaboração de diretrizes para uma gestão ambiental compartilhada, que fortaleça o processo de organização e mobilização da sociedade ludovicense na construção de uma política ambiental que norteie o desenvolvimento socioeconômico sustentável.
Na ocasião serão decorridos os seguintes Eixos temáticos: 1 - Saneamento Ambiental; Unidades de Conservação Municipais e Áreas Verdes e Política Municipal de Educação Ambiental.
As inscrições para a 2ª Conferência Municipal de Meio Ambiente serão realizadas apenas no site da Prefeitura de São Luís - http://www.saoluis.ma.gov.br/semmam/conferencia/Default.aspx
OBS: No ato da inscrição, o participante deverá escolher a que grupo de trabalho pretende fazer parte e identificar qual segmento social que representa. As inscrições ficarão disponíveis até o dia 27 de julho ou até acabar o número de vagas.

O QUE MUDA COM A NOVA PROPOSTA

PROPOSTA DO NOVO CÓDIGO FLORESTAL
Estados terão cinco anos, a partir da publicação da lei, para criar programas de regularização. Nesse período, ninguém pode ser multado, e as multas já dadas ficam suspensas. Os que aderirem à regularização podem ser dispensados em definitivo do pagamento de multas e, como já ditos, inclusive da recuperação das áreas ilegalmente desmatadas.
Protege no mínimo 30m de extensão a partir das margens dos rios, encostas íngremes (> 45º), topos de morro, restingas. Quem desmatou é obrigado a recompor as matas.

PROPOSTA APROVADA
A faixa mínima, nas beiras de rio, agora é de 15 metros. Topos de morro e áreas com altitude superior a 1800 metros de altitude deixam de ser protegidas. Veredas passam a ser consideradas APPs. As demais áreas, embora continuem sendo formalmente protegidas, podem ser ocupadas por plantações, pastagens ou construções caso tenham sido desmatadas até 2008 e sejam consideradas pelos governos estaduais como “áreas consolidadas”.

O QUE PODE ACONTECER
Áreas que, por estarem irregularmente ocupadas, sofrem com enchentes, deslizamentos, assoreamento e seca de rios, são as mais fortes candidatas a serem consideradas como áreas consolidadas e, portanto, condenadas a conviver eternamente com esses problemas, já que não haverá recuperação e as ocupações permanecerão. Tragédias como a de Angra dos Reis, Vale do Itajaí e Alagoas vão ser “legalizadas”.

RESERVA LEGAL

COMO É A LEI HOJE
Todo imóvel tem de manter um mínimo de vegetação nativa. Nas propriedades rurais situadas nas áreas de Mata Atlântica, Cerrado, Caatinga, Pantanal e Pampas a reserva é de 20% do tamanho do imóvel. Na Amazônia Legal deve-se manter 35% nas áreas de Cerrado e 80% nas de floresta. Quem não tem a área preservada tem que recuperar ou compensar. A recomposição deve ser feita com espécies nativas, ou então o proprietário pode compensar a falta de reserva em seu imóvel com o arrendamento de outra área, com vegetação preservada, situada na mesma bacia hidrográfica.

PROPOSTA APROVADA
Propriedades com até quatro módulos fiscais (20 a 440 hectares, dependendo da região do país) não precisam recuperar a área caso ela tenha sido desmatada até a promulgação da lei. Nas demais propriedades ela deve ser recuperada, mas será menor do que atualmente, pois não será calculada com base na área total do imóvel, mas apenas na área que exceder 4 MF (se tiver 10 módulos, será calculada sobre 6). Além disso, será permitido compensar a área devida a milhares de quilômetros da área onde ela deveria estar, desde que no mesmo bioma. Poderá também ser transformada em dinheiro a ser doado a um fundo para regularização de unidades de conservação.

O QUE PODE ACONTECER
Como mais de 90% dos imóveis rurais têm até quatro módulos fiscais, boa parte deles concentrados no sul e sudeste, haverá grandes áreas do país onde simplesmente não haverá mais áreas com vegetação nativa, pois são essas também que abrigam o maior número de APPs com ocupação “consolidada”. Há ainda um grande risco de que propriedades maiores sejam artificialmente divididas nos cartórios para serem isentas de recuperar, algo que já está acontecendo. Embora a proposta diga que isso não pode ocorrer, a fiscalização e coibição é extremamente difícil, o que significa que muito mais do que as “pequenas propriedades” serão anistiadas. Os poucos que tiverem que recompor vão poder fazer com espécies exóticas em até metade da área, ou optar por arrendar terras baratas em locais distantes, cuja fiscalização para saber se estão preservadas será também muito difícil, e, novamente, manterão suas áreas de origem sem a cobertura mínima necessária de vegetação.

terça-feira, julho 13, 2010

AS FOTOS MOSTRAM O DESCASO NA COHAB

Não precisa nem mesmo fazer um texto longo para mostrar o descaso com alguns pontos na cidade. O local é a Avenida Joaquim Mochel, com a Avenida 01 do Conjunto Cohab Anil I. Um retorno que é uma verdadeira esculhambação, sendo que local já passou por obras, mas a situação está pior a cada dia. Além disso, o novo shopping fez umas valas para escoar água e estas tem atrapalhado o trânsito e causado prejuizos. Vamos ver as fotos.












Rotatória da Joaquim Mochel













Que esculhambação












Ainda na rotatória da Joaquim Mochel












A confusão no trânsito no local












Uma verdadeira confusão

Fonte: colunas.imirante.com/geraldocastro

SOM DE SINO NÃO É RUÍDO, É BENÇÃO, É FÉ

O Instituto do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos – IBRAM abre ação para parar os sinos da Paróquia São Pedro Alcântara de Brasília. Tudo porque um vizinho havia registrado uma reclamação contra o barulho vindo das quatro sessões de badaladas diárias. Cada uma delas dura em torno de 2 minutos. O órgão, então, enviou um auto de infração via Correios aos cuidados do pároco Givanildo dos Santos Ferreira, 33 anos.
O padre Givanildo está em pânico com o calar dos sinos, e os paroquianos. É a burrice de um órgão que, em vez de combater as violentas destruições do ambiente, a extinção das nascentes, faz o menor: investir contra os sinos, de sons milenares da civilização ocidental. Som de sino não é ruído, é benção, é fé.

Os sinos ecoam para convidar a comunidade para orações às 8h15, às 12h, às 15h e às 18h. Aos fins de semana, a primeira badalada soa um pouco mais tarde, às 9h. “Essa notícia aborreceu muito a comunidade. Há catedrais como a de Notre Dame, em Paris (França), e a de Saint Patrick, em Nova York (EUA), e todas tocam os sinos.

É um absurdo de um órgão que, em vez de combater as queimadas, a extinção das nascentes, os altos volumes dos carros em bares, faz o menor: investir contra os sinos, de sons e costumes milenares.

sexta-feira, julho 09, 2010

CÓDIGO LETAL

Ao invés de punir os agricultores que desmataram até o ano de 2008 no País, o Novo Código Florestal, isentar o recolhimento de R$ 10,6 bilhões em multas por desmatamentos no País. O calculo, feito pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Renováveis (IBAMA), foi divulgado no jornal “O Globo”.

Prevista pelo texto do código de autoria do deputado e relator Aldo Rebelo (PCdoB/SP), a anistia aos desmatadores prevê o ‘perdão’ para quem desmatou áreas até julho de 2008.

Além de propor a impunidade dos criminosos da área ambiental, o texto de Rebelo evitará que o valor das multas aplicadas entre 1994 a 22 de julho de 2008 seja arrecadado para investimentos na área ambiental.

A aprovação do Código Florestal, conforme proposto por Rebelo, anistia a ex-Aracruz Celulose, responsável por desmatar em 2006 uma área de mata atlântica classificada como Área de Proteção Permanente (APP), no Córrego Jacutinga, em Linhares.

Na ocasião, a ação foi programada para ser radical. Foram utilizados sete tratores de esteiras em um dia jogo do Brasil, na Copa do Mundo. O desmatamento foi descoberto, denunciado e contido por pequenos agricultores familiares que chegaram a entrar na frente dos tratores para impedir a derrubada de árvores.

A 4ª Câmara de Coordenação e Revisão do Ministério Público Federal (MPF) também contabiliza os prejuízos resultantes do novo código. Segundo o MPF, o substitutivo diminuirá em até 50% os percentuais de proteção definidos pela legislação federal ao diminuir faixas de proteção, excluir categorias de APPs e autorizar ocupações irregulares em áreas urbanas e rurais.

A magnitude dos danos ambientais associados à proposta, tratando do impacto de somente uma das modificações - a dispensa de reserva legal em propriedades com até 04 módulos fiscais - e em uma projeção apenas para os estados situados na região norte do País (Acre, Amazonas, Amapá, Pará, Rondônia e Roraima), vai haver uma redução de cerca de 71 milhões de hectares de área protegida. Esta área é superior à soma de todas as Unidades de Conservação (UCs) federais situadas na Amazônia Legal.

Além da anistia aos produtores que desmataram até julho de 2008, e a isenção das pequenas propriedades em relação à preservação da Reserva Legal, o Novo Código Florestal estabelece a redução das matas que protegem os rios.

Veja como foi o voto na comissão especial da Câmara que aprovou o relatório de Aldo Rebelo sobre o Código Florestal.

DEPUTADOS QUE VOTARAM FAVORÁVEL ÀS REFORMAS RURALISTAS:

Anselmo de Jesus (PT-RO)

Homero Pereira (PR-MT)

Luis Carlos Heinze (PP-RS)

Moacir Micheletto (PMDB-PR)

Paulo Piau (PPS-MG)

Valdir Colatto (PMDB-SC)

Hernandes Amorim (PTB-RO)

Marcos Montes (DEM-MG)

Moreira Mendes (PPS-RO)

Duarte Nogueira (PSDB-SP)

Aldo Rebelo (PCdoB-SP)

Reinhold Stephanes (PMDB-PR)

Eduardo Seabra (PTB-AP)

DEPUTADOS QUE VOTARAM CONTRÁRIOS ÀS REFORMAS RURALISTAS:

Dr. Rosinha (PT-PR)

Ricardo Tripoli (PSDB-SP)

Rodrigo Rollemberg (PSB-DF)

Sarney Filho (PV-MA)

Ivan Valente (PSOL-SP)

sexta-feira, julho 02, 2010

AGORA SÓ EM 2014!


O esquema tático e técnico que o Técnico Dunga criou para a Seleção foi louvável para um ambiente agradável para o grupo, só que mas uma vez os jogadores não souberam segurar a pressão de uma quarta de final.
Vamos agora para Copa de 2014 no Brasil.

ADECOI INFORMA: AÇÕES DA BRIGADA VOLUNTÁRIA AMBIENTAL

A Associação dos Defensores do Complexo Itapiracó( ADECOI) esteve presente nas pessoas da dona Sindia e Silvana na ação com o Batalhão de...