quarta-feira, março 30, 2011

PREFEITURA AUTUADA POR DESMATAMENTO NO CALHAU

A Prefeitura de São Luís foi autuada ontem à tarde pelo Batalhão de Policiamento Ambiental (BPA) por devastar uma área de mata fechada pertencente a microbacia do rio Calhau, em frente à Estação Ecológica do Rangedor, às margens da Avenida Luis Eduardo Magalhães (ao lado da Assembleia Legislativa).
Tenente e moradores observam devastação feita pela prefeitura
 Há um mês funcionários de uma empresa terceirizada contratada pela Semosp (Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos) cortam a mata.

A prefeitura pretende construir no local o hospital de emegência prometido ainda durante a campanha pelo prefeito João Castelo (PSDB).

Érica Nogueira mostra olho d'água dentro da área desmatada
No local existem vários olhos d’água que formam o rio Calhau, diversas espécies de árvores e plantas como vitórias-régias, aves e animais – macacos, tatus, raposas, siricoras, jandaias (espécie de papagaio) e grande variedade de borboletas.


O homem identificado João Pierre Filho, da empresa terceirizada, foi autuado pelos guardas do batalhão. O BPA exigiu uma licença ambiental para derrubada da mata, que não foi apresentada. Foram apreendidos três foices, um machado e um facão com os devastadores.

Os policiais deram cinco dias para a apresentação da documentação. “A prefeitura tem uma Secretaria de Meio Ambiente que poderia perfeitamente cuidar dessa questão. Até lá, qualquer intervenção nessa área está vetada”, disse o tenente Vera Cruz.

Parte de área devastada fica à margem da Avenida Luis E. Magalhães
A ambientalista Érica Nogueria disse que o procurador da República Alexandre Soares expediu documento à Sema (Secretaria do Meio Ambiente) no sentido de ser criada uma undidade de conservação ecológica, espécie de extensão do Sítio Rangedor. A área pertence a particulares.

“É um absurdo a prefeitura querer construir um hospital nessa região onde sequer passa linha regular de ônibus. Essa obra vai terminar de matar o rio Calhau e várias espécie de animais e plantas que sobrevivem desse ecossistema”, disse ela.

Moradora mostra vitórias-régias que crescem em olhos d'água no local

Devastação ameaça macacos que vêm comer na mão dos moradores

O local é habitato também por tatus, raposas, siricoras e vários tipos de borboletas
 Fonte: Décio Sá

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O BRASIL SEM JEITO: O JUIZ SÉRGIO MORO LIBEROU R$ 10 MILHÕES AO CASAL JOÃO SANTANA E MONICA MOURA

Os advogados afirmam que os marqueteiros não podem “trabalhar e auferir renda para seus gastos pessoais e de suas famílias, sendo, então,...