terça-feira, julho 31, 2018

SUSTENTABILIDADE SOCIAL: PESSOAS EM SITUAÇÃO DE RUA GANHAM SACOS DE DORMIR FEITOS COM GUARDA-CHUVAS REUTILIZADOS

Um grupo de mulheres está transformando pedaços de tecido de guarda-chuvas em sacos de dormir para pessoas em situação de rua, na cidade de Rio Grande (RS). As voluntárias são lideradas por Sílvia Martinatto, a criadora do projeto batizado de ‘Semente do Bem’. Ela teve a ideia depois que assistiu a um vídeo na internet sobre o assunto e achou uma boa serventia para tecidos de guarda-chuvas velhos ou quebrados.
Sílvia não sabia muito bem como fazer os sacos de dormir. Ela guardou o vídeo e, quando sobrava um tempinho livre, assistia de novo e praticava a costura. A dedicação rendeu um ótimo resultado: um saco de dormir quentinho e impermeável – protege os desabrigados do frio e da umidade, bastante comuns na estação mais fria do ano.
A ideia se espalhou e começaram a aparecer novas voluntárias dispostas a ajudar Sílvia. A iniciativa deu um salto depois que firmou uma parceria com o ‘Projeto Esperança Viva’, que serve refeições para os moradores em situação de rua.
O tecido usado na produção dos sacos de dormir custa em média 18 reais o metro. Portanto, o Semente do Bem depende de doações de guarda-chuvas e TNT para a confecção dos sacos de dormir e das bolsas para carregá-los. Um único saco de dormir necessita de aproximadamente cinco guarda-chuvas.
Fonte: G1

domingo, julho 22, 2018

AÇÃO COMUNITÁRIA: O PROJETO JARDINAGEM PEDAGÓGICA SOMANDO NA SUSTENTABILIDADE DOS ESPAÇOS PÚBLICOS

A Praça das Árvores, localizada no COHATRAC IV, recebeu na manhã de 21/07, mais um afago da comunidade através da edição da Jardinagem Pedagógica, projeto que acontece há 2 anos, tendo com laboratório a própria praça, focando na construção de saberes e convivências.

Contamos com um bom contingente de cidadãos voluntários que fizeram uma importante intervenção, plantando mudas ornamentais, regando as plantas existentes e limpando os rodapés das árvores. Moradores de diversos bairros de São Luís vieram prestigiar o projeto, levando para suas comunidades a mensagem da esperança de ambientes saudáveis construídos com protagonismo.

Os participantes compartilharam um café constituído de forma cooperativa, um momento de comunhão que resgata a vida comunitária.
Contamos com a participação especial de Messias Nicodemos, engenheiro agrônomo, que ressaltou a necessidades de aproveitamento das folhas secas das plantas da praça como adubo.

Contamos também com a participação das artesãs Elizabeth Travassos e Cristina Araújo que expuseram seus trabalhos aos visitantes da praça.
Destacamos a generosidade do amigo Carlos Lavra que disponibilizou mudas de plantas frutíferas e ornamentais para distribuição.

A Jardinagem Pedagógica pode acontecer em qualquer espaço público, bastando um trabalho de sensibilização prévio com a formação da equipe anfitriã que se encarregará de providenciar a infraestrutura.


















Fonte: Camilo Rocha Filho

quinta-feira, julho 19, 2018

ALIMENTO ORGÂNICO: FEIRA ORGÂNICA VIDA SAUDÁVEL NO BAIRRO DO VINHAIS

Os tempos recentes vêm trazendo a importância de tratarmos a nossa vida, em especial a nossa saúde, de maneira integral e holística. Dessa forma, praticamos o nosso olhar para uma visão integral de nós mesmos. Lazer, trabalho, tempo de descanso… tudo que nos move. E por que com a alimentação seria diferente?

Ao cuidar do nosso alimento, cuidamos da Terra, do nosso corpo, e trabalhamos nossa consciência. Existe uma relação entre tudo o que fazemos. Dessa forma, a comida é mais do que apenas matéria que colocamos para dentro. Comida é amor, é cuidado, é vida, é relação e nutrição. É isso tudo e muito mais. Nas cidades do mundo moderno, às vezes torna-se desafiante encontrar alimento que preencha esses requisitos, não é mesmo? Aos poucos, no entanto, ressurge com grande potência a riqueza e diversidade proveniente da Terra de volta aos nossos pratos – através das Feiras Orgânicas.

AtravAt da Igreja Messiânica Mundial do Brasil e Johrei Center Litorânea, o público preocupado com o bem estar poderá participar nesta sexta-feira(20) e sabado(21) , a partir de 9h, da FEIRA ORGÂNICA VIDA SAUDÁVEL com venda de frutas, verduras, legumes orgânicos.
Na sexta-feira, o público que irá a feira irá poder participar da Oficina gratuita de Sucos terapêuticos com o prof. Jorge Leão. As Inscrições serao feitaa no local no dia da feira. E contara com a Roda de conversa sobre alimentação vida saudável* com Fisiologista.

No sabado aontecerá a doação de mudas Horta Caseira, venda de comidas e lanches Veganas com a @veg.e.tal e Nani Elaine, durante toda manhã. É contara com a Oficina gratuita de 🍶Leites Vegetais com Nanda Miranda da @veg.e.tal


*CONVITE*
🥦🍅 *FEIRA ORGÂNICA VIDA SAUDÁVEL*🍆🌱
🍃DIAS 20 e21 de julho. A partir das 9hs e contará com:

*PROGRAMAÇÃO DO DIA 21/SÀBADO*

🌱 *Venda de frutas, verduras, legumes orgânicos*.
🌱 *Doação de mudas Horta Caseira*
🌱 *Comidas e lanches Veganas com a @veg.e.tal e Nani Elaine, durante toda manhã*
🌱 *Oficina gratuita de 🍶Leites Vegetais com Nanda Miranda da @veg.e.tal*

🍃 *PROGRAMAÇÃO DO DIA 20/SEXTA*
A partir das 9hs

Fonte:Geissa - Jornalista Ambiental

APA DO ITAPIRACÓ: PLENÁRIA DO FAI

Dia 18/7 - Quarta, estivemos (FAI) reunidos na Escola Maria Pinho das 20h às 21h40 para tratarmos sobre a pauta divulgada conforme segue:

 1) Leitura da Ata anterior;

2) Trilha Ecológica: onde apresentamos um calendário a ser executado uma vez por mês, aos sábados 15h às 17h30 em parceria com escolas da rede de ensino (Maria Pinho, Padre Newton, Barjonas, Tiradentes I, Primavera e Cenaza). Tivemos várias contribuições dos participantes para a construção do projeto e ficou decidido de formatarmos de maneira mais técnica para apresentarmos para às escolas;

3) Apresentação do Projeto GUARDIÃO: Projeto voltado para adolescentes, 14 a 16 anos, com duração de 2 anos, voltado para a temática da disciplina e meio ambiente.

Precisamos de parcerias na rede de Educação, Sistema 5 S, Iniciativas Privadas, entre outras para inciar o projeto em Março de 2019 até Dezembro de 2020. O projeto foi apresentado aos participantes;

4) Avisos:
-Foi informado sobre o projeto Arena Alegria que terá edição em 04/08 na APA ITAPIRACO, voltado para o público infantil, em parceria com a CEMAR.

-Feito o convite para que todos pudessem estar presentes neste sábado, 21/07, na Praça das Árvores, Cohatrac IV, para mais uma edição do Projeto Jardinagem Pedagógica.

No mais, encerramos a reunião e agradecemos aos participantes pela presença e contamos com mais adeptos para colaborarem nas próximas.

O convite está feito de forma permanente a todos(as) sendo que nossas reuniões acontecem todas as quartas, das 20h às 21h30 na Escola Maria Pinho no Cohatrac II.

A APA É NOSSA!

Fonte: Reginaldo Bordalo
Secretário do Fórum da APA Itapiracó- FAI

quarta-feira, julho 18, 2018

SANEAMENTO BÁSICO: CONSELHO DE ARQUITETURA E URBANISMO CRITICA MEDIDA PROVISÓRIA

Para entidade, proposta afronta o desenvolvimento saudável de nossas cidades.

A reforma do marco legal do saneamento básico proposta pela Medida Provisória 844/18, “é uma afronta ao desenvolvimento saudável de nossas cidades por sobrepor o interesse das empresas que operam no setor do saneamento básico ao interesse público”, no entendimento do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil.

Segundo manifesto da entidade, a MP fere a autonomia municipal ao impor aos municípios o chamamento público para demonstração de interesse do setor privado na prestação dos serviços. Hoje eles têm liberdade para decidir entre a operação direta, contratada ou consorciada com vizinhos.

Na prática, diz o manifesto, o interesse das operadoras privadas se fixaria apenas nos municípios com maior área de cobertura, ou seja, com condições de superávit, o que representa apenas 10 por cento dos mais de 5.500 municípios brasileiros, de acordo com a ABES (Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental). “Os municípios menores, em geral mais pobres, por serem deficitários ficariam ao encargo das companhias municipais e estaduais, o que dificulta a prestação de serviços de forma regionalizada e inviabiliza o uso de subsídios cruzados”.

Em pról da cidade saudável, o CAU/BR defende uma política pública de saneamento básico, com visão regional e nacional, que proporcione tratamento isonômico aos municípios brasileiros”, afirma o documento, lembrando que oacesso universal e equitativo à água potável e à coleta e tratamento de esgoto são direitos humanos inalienáveis. “Além de fundamental para a saúde pública, a infraestrutura de saneamento é um importante elemento para a organização das cidades”.

A ementa da MP diz que o objetivo da reforma é “aprimorar as condições estruturais do saneamento básico no País”. Paradoxalmente, no entanto, lembra o CAU/BR, a proposta dispensa o Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB) como condição de validade dos contratos de prestação de serviços. “Entendemos que o planejamento no setor é condição básica em um país onde 35 milhões de pessoas (16,7% da população) não conta com água potável em suas moradias, mais de 100 milhões (48,1%) não tem acesso à coleta de esgoto e apenas 44,9% do esgoto gerado é tratado, segundo dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), referentes a 2016”.

quarta-feira, julho 11, 2018

ELEIÇÕES COMUNITÁRIAS: PRAÇAS DAS ÁRVORES


No dia 10/07/2018 consagrou-se como um marco histórico nos movimentos sociais do Complexo COHAB e COHATRAC, o processo eleitoral do Comitê da Praça das Árvores. Um momento que registra o processo democrático da participação e empoderamento popular. Na ocasião foram eleitos os integrantes do Comitê Gestor para o período de um ano.


A coordenação ficou com o militante social Camilo Rocha que foi eleito com a maioria absoluta dos votos, e a companheira Concinete Menezes foi eleita a Vice Coordenadora.

A composição final do Comitê da Praça das Árvores ficou:
Camilo Rocha, coordenador, vice Concinete, Dorian Azevedo, Katherine Chagas, Lourença, e Carlos Lavra. O processo sinaliza a consolidação do empoderamento comunitário autêntico e qualificado. Salve a organização popular do Comitê da Praça Mãe no complexo COHAB/COHATRAC.


Fonte: Dorian Azevedo

terça-feira, julho 10, 2018

RÁDIO COMUNITÁRIA: ECONOMIA SOLIDÁRIA NO FALA COMUNIDADE


A edição 262, de 08/07/2018, foi totalmente disponibilizada para a Economia Solidária (ES). Contamos com participação de Fátima Ramos (foto ao lado), estudante da UEMANet que defendeu TCC no curso de administração pública com o tema “Economia Solidária Enquanto Fomentadora Em Tempos de Crise”.

Fátima iniciou sua entrevista, falando dos aspectos conceituais da ES.  Disse que a cooperação e a solidariedade entre os trabalhadores é a base deste importante movimento que faz contraponto com o capitalismo desde a primeira revolução industrial nos idos de 1760. O cooperativismo foi a alternativa encontrada pelos trabalhadores para enfrentar as mazelas proporcionadas pelo nascente capitalismo, destaca.

Fátima destacou que no Brasil, a economia solidária dá seus primeiros passos no final da década de 60, quando o país sofre com a crise mundial do petróleo. Mencionou o economista Paul Singer que estudou e teorizou as alternativas dos trabalhadores desempregados naquele período. Disse ainda que a constituição de 88 e os últimos governos favoreceram a ES, disponibilizando estruturas governamentais como a Secretaria Nacional de Economia Solidária.

Por fim, Fátima disse que sua pesquisa consistiu na aplicação de um questionário aberto, composto de 8 perguntas e que as informações coletadas levaram à constatação de que a ES presta um relevante serviço social,  empoderando o trabalhador para a geração de renda com olhar ecológico e visão de sustentabilidade, dentro do exercício do associativismo.

Fonte: Camilo Rocha

segunda-feira, julho 09, 2018

SUSTENTABILIDADE: RIO DE JANEIRO É A PRIMEIRA CIDADE BRASILEIRA A BANIR CANUDOS PLÁSTICO

A cidade do Rio de Janeiro acaba de proibir o uso de canudinhos plásticos em bares, cafés e restaurantes e quiosques. No dia 07/06, foi aprovado na Câmara Municipal o projeto de lei do vereador Jairinho (MDB) que bane o canudo na capital carioca. Uma luta da ONG MEU RIO, uma rede de cidadãos que trabalha por uma cidade mais democrática, inclusiva e sustentável. 

A Lei estipula multa de até R$ 3 mil aos estabelecimentos que descumprirem a lei, valor que pode ser multiplicado em caso de reincidência. Ao invés do plástico, o projeto determina o uso de canudos feitos de materiais biodegradáveis.

Aparentemente inofensivo, o canudinho descartável virou uma praga ambiental. Só nos Estados Unidos, são usados 500 milhões deles por dia e no Reino Unido, mais 100 milhões. E assim como outros resíduos, eles acabam no mar, engolidos por animais, que morrem sufocados.
Feito geralmente de poliestireno ou polipropileno, o canudo pode ser reciclado, mas como é muito pequeno e leve, assim como tampas de garrafa, frequentemente é jogado nolixo. Sua vida útil é estimada em 4 minutos. Isso mesmo, 4 minutos! E ele leva aproximadamente 400 anos para se decompor na natureza.

sexta-feira, julho 06, 2018

ECONOMIA SOLIDÁRIA: CRESOL

Gisele, Nilce e Maurício
O INSTITUO IDEAS representando o Fórum da APA do Itapiracó – FAI, esteve presente na inauguração da sede do Centro de Referência Estadual de Economia Solidária – CRESOL na Rua de Nazaré, nº 173, na Praia Grande.

O CRESOL será um espaço de referência de reuniões, organizar oficinas e ter um ponto de venda permanente para articular as ações estruturantes da Economia Solidária no Maranhão e será gerenciado pela Secretaria de Trabalho e Economia Solidária - Setres.

De acordo com a secretária adjunta Nilce Ferreira (foto ao lado), o centro é parte da política de incentivo ao setor e visa oferecer oportunidade de desenvolvimento e geração de renda para os empreendimentos.


Economia Solidária
Os empreendimentos de Economia Solidária atendidos pelo CRESOL são organizações associativas, de cunho autogestionário, e nos quais não há relação de patrão e empregado, com foco na relação de trabalho e renda. Além disso, os empreendimentos têm foco no desenvolvimento local, com uso sustentável que vai desde a matéria-prima à gestão de resíduos.

quinta-feira, julho 05, 2018

AUTOSSUFICIENTE: CASA PRODUZ TODA COMIDA E ENERGIA NECESSÁRIA PARA SEUS MORADORES

Quando se pensa em casas autossustentáveis, muitas vezes pode surgir a ideia de que elas não funcionam bem em cidades grandes. O casal australiano Geoff Carroll e Julie Young quis desafiar esse raciocínio, e se deram muito bem com sua casa em Alexandria, na região metropolitana de Sidney.
Os dois trabalham em uma empresa que ajuda os clientes a lidar com os desafios da hiperurbanização e das mudanças climáticas, e decidiram aplicar suas preocupações com a sustentabilidade ao próprio lar. Seguindo o conselho do arquiteto contratado, demoliram a casa anterior e construíram uma nova do zero.
Quando se pensa em casas autossustentáveis, muitas vezes pode surgir a ideia de que elas não funcionam bem em cidades grandes. O casal australiano Geoff Carroll e Julie Young quis desafiar esse raciocínio, e se deram muito bem com sua casa em Alexandria, na região metropolitana de Sidney.


Os dois trabalham em uma empresa que ajuda os clientes a lidar com os desafios da hiperurbanização e das mudanças climáticas, e decidiram aplicar suas preocupações com a sustentabilidade ao próprio lar. Seguindo o conselho do arquiteto contratado, demoliram a casa anterior e construíram uma nova do zero.
Iluminação maior
Isso porque a construção anterior, da década de 80, tinha tinha pouco espaço externo e não era muito eficiente quanto à temperatura. A nova casa conta com um jardim interno que aumenta a iluminação em vários cômodos, e o que era uma garagem para carros se transformou em jardim de permacultura.
Por lá, uma mini lagoa cheia de peixes garante que o ecossistema do jardim vertical esteja sempre em ordem. O ciclo é completado pelas plantas que filtram a água. A casa conta também com um galinheiro, que faz parte de outro ciclo: o casal se alimenta de produtos colhidos na própria horta, e divide parte da comida com as galinhas, que lhes provêm ovos e fertilizam a terra.
Detalhes na horta
Geoff conta que ele e Julie costumam passar 10 minutos por dia cuidando das galinhas e dos peixes, e cerca de uma hora por semana acertando detalhes na horta e colhendo os alimentos frescos e prontos para consumo.
Há também uma corrente que liga a calha a um tanque que armazena a água da chuva, que é usada na lavanderia, nos banheiros e no jardim. Além disso, um sistema não-elétrico aquece a água usada na residência, e um conjunto de placas de captação de luz solar produz mais energia do que o casal costuma gastar por mês. Geoff se diz satisfeito com o lar, e garante que cuidar de tudo dá menos trabalho do que se pode imaginar: “Um sistema bem planejado praticamente cuida de si mesmo”.
Fonte: eco4planet

quarta-feira, julho 04, 2018

COMUNICAÇÃO SÓCIO COMUNITÁRIA: A HISTÓRIA CRÍTICA DO MARANHÃO NO FALA COMUNIDADE

Dorian, Joan Botelho e Camilo
O programa Fala Comunidade do dia 01/07/2018, veiculado na Rádio Comunitária Ilha do Amor FM, fortaleceu a perspectiva da formação de cidadania, ao tratar da história do Maranhão com muita competência e propriedade do professor respeitado por várias gerações de estudantes no Estado, o Ms Joan Botelho que fez do estúdio da rádio ilha do amor FM, um grande aulão de história. 

Na ocasião, o professor falou de vários períodos de nossa inspirtante história politica, econômica,e social. O programa Fala Comunidade, cumpriu mais uma vez sua função precípua de promover possibilidade de empoderamento comunitário. O professor e intelectual Joan Botelho apresentou as duas edições do seu livro "Conhecendo e Debatendo a História do Maranhão" aos nossos ouvintes, colocando à disposição de todos um conjunto de informações fundamentais para o conhecimento crítico  necessário sobre o Estado do Maranhão.

O programa foi apresentado por Camilo Rocha e Dorian Azevedo, contando com a sonoplastia de Marlove Corrêa.

Fonte: Camilo Rocha

terça-feira, julho 03, 2018

ALERTA: ONU ALERTA PARA POLUIÇÃO DAS ÁGUAS POR ABUSO DE AGROTÓXICOS NO CAMPO

Ao alimentar o mundo e produzir uma imensa variedade de culturas, a agricultura responde por nada menos do que 70% do consumo mundial de água. Mas, ao mesmo tempo que depende desse recurso vital, a atividade também contribui para sua degradação.

poluição hídrica causada por práticas agrícolas insustentáveis, marcadas pelo abuso de agrotóxicos, fertilizantes e outros produtos agroquímicos que escoam para rios, lagos e reservas subterrâneas, é um problema crescente em todo o mundo e frequentemente subestimado por formuladores de políticas e agricultores.
O alerta vem de um relatório da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e do Instituto Internacional de Gestão da Água divulgado na mesma semana em que uma comissão especial da Câmara aprovou o projeto que flexibiliza a Lei dos Agrotóxicos no Brasil, chamado por opositores de “PL do veneno”.
A publicação da FAO, intitulada “Mais pessoas, mais alimentos, água pior?” faz uma revisão da poluição hídrica causada por atividades agrícolas no mundo e exorta os governos a terem mais cautela no campo.
A agricultura moderna é responsável pela descarga de grandes quantidades de agrotóxicos, matéria orgânica e sedimentos em corpos hídricos. Essa poluição afeta bilhões de pessoas e gera custos anuais da ordem de bilhões de dólares, diz o estudo.
“A agricultura é o maior produtor de águas residuais, por volume, e o gado gera muito mais excrementos que os humanos. À medida que se intensificou o uso da terra, os países aumentaram enormemente o uso de pesticidas sintéticos, fertilizantes e outros insumos”, disseram Eduardo Mansur, diretor da divisão de terras e águas da FAO, e Claudia Sadoff, diretora-geral do instituto, na introdução do relatório.
“Apesar desses insumos terem ajudado a impulsionar a produção de alimentos, também deram lugar a ameaças ambientais, assim como a possíveis problemas de saúde humana.”
Os produtos de uso agrícola de maior preocupação são os pesticidas, nitratos em águas subterrâneas, vestígios de metais pesados e os chamados poluentes emergentes, que incluem antibióticos e genes resistentes a esses fármacos excretados pelo gado.
Segundo o estudo, desde 1960, o uso de fertilizantes sintéticos cresceu dez vezes, com as vendas globais de pesticidas aumentando de US$ 1 bilhão para US$ 35 bilhões por ano desde 1970.
Enquanto isso, a intensificação da produção pecuária, que triplicou a partir de então, trouxe a reboque antibióticos, vacinas e hormônios para crescimento que viajam das fazendas através da água.
Outro setor em expansão que demanda atenção, segundo o relatório, é a aquicultura — que se expandiu vinte vezes desde 1980 — e vem liberando quantidades cada vez maiores de excrementos de peixe, resíduos de ração, antibióticos e fungicidas na água.
Fonte: EXAME

segunda-feira, julho 02, 2018

ABUSO INFANTIL: ESTUPRADOR SERÁ CASTRADO QUIMICAMENTE

A Coreia do Sul autorizou a aplicação da punição de castração química a um homem condenado em quatro processos de abuso sexual e pedofilia. O réu, identificado apenas pelo sobrenome Park, foi acusado de estupro e tentativa de estupro de ao menos quatro meninas, em uma série de crimes cometidos desde 1980. Ele deve iniciar o tratamento no final desta semana.
A lei que autoriza a castração química de pedófilos na Coreia do Sul entrou em vigor no final do ano passado. A norma foi aprovada com forte apelo público, depois de virem à tona inúmeros casos de pedófilos condenados pegos em reincidência dos crimes, após terem sido libertados.
A castração química é um método de supressão permanente de hormônios masculinos que estimulam a reprodução. O tratamento é baseado na aplicação de ao menos três doses de injeções de drogas e não necessita do consentimento do condenado à punição. O resultado é a perda total da libido do indivíduo.
Park passará por um reforço de doses das drogas a cada três meses, terá que utilizar uma tornozeleira eletrônica e será escoltado por policiais por três anos. Os agressores podem ter que permanecer no tratamento por 15 anos, dependendo dos resultados e da conduta de cada um, segundo a lei sul-coreana.
Você é a favor desse método aqui no Brasil?
Fonte: abandono afetivo

domingo, julho 01, 2018

ELEIÇÃO COMUNITÁRIA: RELAÇÃO DE CANDIDATOS AO COMITÊ DA PRAÇA DAS ÁRVORES

Amigos da Praça das Árvores,
A comissão eleitoral presidida pela Sra Maria Martins informa que o Comitê da Praça das Árvores deu início ao processo de eleição dos membros deste comitê. 
O edital eleitoral já foi publicado, esclarecendo aspectos deste processo que acontece anualmente. 

Hoje, dia 26/06/18, das 19 às 21h, estivemos na praça aguardando as inscrições de candidaturas. Na ocasião compareceram os seguintes candidatos:


1. Camilo G da Rocha Filho
2. Carlos Alberto F Lavra
3. Concinete de M A Menezes
4. Dorian I S Azevedo
5. Katherine S das Chagas
6. Maria Lourença Pereira
7. Raimundo G C Matos.

Após examinadas as condições efetivas dos candidatos, o recibo de entrega foi expedido e as candidaturas consideradas válidas.


Informamos ainda que 10/07, das 19 às 21h, na praça das árvores serão feitas a votação, apuração, proclamação e posse dos eleitos.


Fonte: Avanne Dominici

AÇÃO COMUNITÁRIA: A PRAÇA DAS ÁRVORES NA LENTE DA ARTE

A Praça das Árvores vivenciou mais um importante episódio de sua existência. Hoje, 20 de outubro, o comitê da referida praça realizou a 2° ...